02:40 14 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Sistema de defesa antiaérea Pantsir-S1 (foto de arquivo)

    Síria põe sistemas de defesa antiaérea em alerta máximo

    © Sputnik / Vitaly Ankov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    25522

    Damasco está preparando seus sistemas de defesa antiaérea para um possível ataque maciço por parte dos EUA e seus aliados. O golpe pode se seguir à planejada encenação com alegado uso de armas químicas na província de Idlib, noticiou a revista Al Madsar News.

    No momento, as forças sírias estão deslocando ativamente equipamento militar para as áreas de um provável ataque.

    Embora o motivo exato dessas deslocações não tenha sido revelado, a edição sugere que a medida foi empreendida devido ao risco de bombardeamento maciço de Damasco e áreas suburbanas pelos EUA e seus aliados como "resposta" a uma encenação de ataque químico.

    Depois de realizar com êxito ataques contra extremistas e opositores radicais em outras regiões do país, o exército sírio está planejando uma operação militar de grande escala para libertar a província de Idlib, que há muitos anos permanece sob controle das forças opositoras.

    Entre elas figuram vários grupos terroristas radicais que vêm combatendo tanto contra as forças governamentais, como contra a denominada “oposição moderada” síria, em particular, as Forças Democráticas da Síria (FDS) apoiadas por Washington. 

    Nos últimos dias o tema das armas químicas voltou à tona quando o assessor de segurança nacional John Bolton reiterou a ameaça dos EUA de responder militarmente contra o exército governamental caso na Síria sejam usadas substâncias químicas proibidas. 

    A Rússia frisou que o governo sírio, que está ganhando a guerra com armamento convencional e apoio de seus aliados, não tem nenhum motivo para utilizar armas químicas contra a própria população.

    Recentemente, o Ministério da Defesa russo divulgou dados sobre a preparação de uma possível encenação e reiterou sua preocupação sobre o aumento da presença militar dos EUA na região. Por sua vez, o Pentágono desmentiu que os EUA estejam concentrando suas forças na Síria para realizar um ataque com mísseis, mas afirma "estar pronto para agir" caso receba tal ordem do presidente norte-americano, Donald Trump. 

    Mais:

    Trump e Merkel fazem apelo por prevenção da crise humanitária na cidade síria de Idlib
    Ministro do Irã critica os EUA e promete ajudar Assad a reconstruir a Síria
    Tags:
    encenação, ataque químico, sistema de defesa antiaérea, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik