10:12 17 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    O presidente Donald Trump se encontra com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, no Salão Oval da Casa Branca.

    Netanyahu ainda espera que os EUA reconheçam a reivindicação de Israel às colinas de Golã

    © AP Photo / Evan Vucci
    Oriente Médio e África
    URL curta
    15215

    Mais cedo, o Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton observou que a questão dos territórios sírios anexados após a guerra de 1967 com Israel não está na agenda da Casa Branca.

    O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse em entrevista à Reuters em 23 de agosto que não havia perdido a esperança de que os EUA reconheceriam as reivindicações de Tel-Aviv sobre as colinas de Golã, que foram retiradas da Síria durante a Guerra dos Seis Dias.

    "Eu desistiria de tal coisa? De jeito nenhum", disse Netanyahu.

    O Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, havia dito anteriormente durante sua visita a Israel que a Casa Branca não discutia a questão de reconhecer as Colinas de Golã como parte do Estado judeu. Ele também observou que Washington entendeu a posição de Tel-Aviv sobre o assunto, mas disse que a questão nos EUA permaneceria inalterada por enquanto.

    As colinas de Golã foram tomadas por Israel da Síria durante a Guerra dos Seis Dias em 1967. O território foi inicialmente governado por uma administração militar, mas em 1981, Tel-Aviv ampliou a jurisdição de suas leis para o território e estabeleceu uma administração civil. O Conselho de Segurança da ONU condenou o movimento como ilegal. Israel justificou alegando que a apreensão era uma maneira de proteger suas fronteiras de atos militares agressivos.

    Tags:
    Guerra dos Seis Dias, Casa Branca, Conselho de Segurança da ONU, Benjamin Netanyahu, John Bolton, Estados Unidos, Washington, Colinas de Golã, Tel-Aviv
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik