19:39 25 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Combates em Idlib, Síria

    Terroristas anunciam ofensiva contra exército sírio

    © Sputnik .
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7310

    Grupos armados ilegais na Síria anunciaram estar preparando uma ofensiva militar contra as tropas do governo e rejeitam diálogo com o Governo, informou o chefe do Centro Russo de Reconciliação, major-general Aleksei Tsigankov.

    "Os líderes da Frente al-Nusra (banida na Rússia), da Frente de Libertação Nacional e da Frente para a Libertação da Síria anunciaram abertamente os preparativos para uma ofensiva contra as tropas do governo e declararam sua rejeição ao diálogo para uma solução política do conflito", disse o militar.

    Tsigankov reiterou o apelo do Centro Russo de Reconciliação para que os extremistas renunciem às  provocações armadas e voltem para uma busca de solução pacífica da situação em áreas de seu controle.

    A província de Idlib foi ocupada em 2015 por grupos armados e pela organização terrorista Frente al-Nusra.

    No âmbito dos acordos de reconciliação, membros de grupos radicais que recusaram a se render em Aleppo, Homs e Ghouta Oriental foram evacuados para a região.

    Durante a décima rodada de consultas em Astana, realizada no final de julho na cidade russa de Sochi, Bashar Jaafari, chefe da delegação de Damasco e embaixador sírio na ONU, disse que o governo sírio reserva-se o direito de usar a força militar para recuperar a província de Idlib se seus ocupantes rejeitarem reconciliação.

    Enquanto isso, Ayman al Asimi, representante oficial da delegação da oposição, disse que a oposição síria pode renunciar ao acordo político se Damasco cumprir suas ameaças referentes a Idlib.

    Mais:

    Rússia acena com novo formato para discussão da crise Síria
    Conselheiro de Trump: EUA, Rússia e Israel querem Irã fora da Síria
    Daesh teria atacado forças estadunidenses em Deir ez-Zor, na Síria
    Senador dos EUA: Cortar fundos da Síria é 'estender o tapete vermelho para a Rússia'
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik