17:58 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    A capital do Qatar, Doha.

    Bahrein suspende vistos de entrada para cidadãos do Qatar

    © Sputnik / Vitaliy Belousov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 02

    O Ministério do Interior do Bahrein anunciou nesta terça-feira (21) sua decisão de suspender a emissão de vistos de entrada para cidadãos do Qatar devido aos "atos irresponsáveis" de Doha, informou a mídia local.

    Em junho de 2017, os Emirados Árabes Unidos (EAU), Arábia Saudita, Egito e o Bahrein cortaram relações diplomáticas com Doha. Eles acusam o país vizinho de desestabilizar a região apoiando o terrorismo e interferindo em seus assuntos internos. O Qatar nega as alegações.

    "A decisão não foi tomada por causa dos cidadãos do Qatar que compartilham laços fraternos com o Bahrein, mas como resultado de atos irresponsáveis ​​das autoridades do Catar que não consideram os direitos dos países vizinhos ou os princípios da lei internacional", disse o ministério, segundo a agência de notícias do Bahrein.

    Exceções serão feitas apenas para aqueles que já têm vistos válidos, assim como para os estudantes do Qatar que vivem no Bahrein.

    Em junho, o Qatar entrou com uma ação contra os EAU perante a Corte Internacional de Justiça da ONU, acusando o país vizinho de violar a lei internacional expulsando milhares de cataristas do país, congelando seus ativos e proibindo aeronaves do Qatar de viajar no espaço aéreo dos Emirados Árabes Unidos.

    Em julho, o tribunal ordenou que os EAU reunissem as famílias separadas do Qatar, mas a data para a decisão final ainda não foi definida.

    Mais:

    Qatar anuncia investimento de US$ 15 bilhões na economia turca
    EUA impediram invasão da Arábia Saudita no Qatar, diz site
    Qatar contratou ex-agentes da CIA para garantir Copa de 2022
    Qatar anuncia expansão da maior base aérea americana no golfo Pérsico
    Putin entrega 'bola de obrigações' a Qatar e diz ter orgulho na Copa 2018
    Tags:
    Bahrein, Qatar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik