00:02 19 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    O presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sisi, faz um discurso no Palácio Presidencial Ittihadiya no Cairo, Egito (arquivo)

    Sob críticas, Egito ratifica lei de controle da internet

    © REUTERS / The Egyptian Presidency
    Oriente Médio e África
    URL curta
    340

    O presidente do Egito, Abdel-Fattah el-Sissi ratificou uma lei contra crimes cibernéticos em meio a uma polêmica com grupos críticos da medida. Em julho, outra lei semelhante foi aprovada no país.

    A lei publicada neste sábado (18) no diário oficial egípcio permite que as autoridades do país bloqueiem sites que publiquem conteúdo que ameace a segurança nacional. Possíveis visitantes que venham a tentar o acesso dos sites também poderão ser punidos a até um ano de prisão, ou multados em até US$ 5.593,00.

    Em julho deste ano, o parlamento do Egito aprovou uma lei que coloca contas de redes sociais com mais de 5 mil seguidores sob supervisão das autoridades. Com isso, elas podem realizar bloqueios dos perfis e páginas caso identifiquem disseminação de notícias falsas.

    À época, a Anistia Internacional criticou a lei, afirmando que ela dava ao Estado egípcio o controle quase total sobre mídias impressas, online, e também de outros tipos.

    Mais:

    Ex-premiê da Ucrânia compara salários de ucranianos a trabalho escravo do Antigo Egito
    Sepultura mais antiga que pirâmides do Egito é encontrada na Rússia (FOTO)
    No Egito é encontrada nova esfinge debaixo da terra
    Trem descarrila no sul do Egito e fere 5
    Egito quer condenar 75 militantes da Irmandade Muçulmana à morte por protestos em 2013
    Tags:
    Internet, controle da mídia, fake news, Anistia Internacional, abdel fattah al-sissi, Egito
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik