17:07 09 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Grande bandeira da Turquia

    Trump tenta usar contra Turquia a mesma estratégia que usou contra Coreia do Norte?

    © AFP 2018 / OZAN KOSE
    Oriente Médio e África
    URL curta
    8113

    O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que seu país não irá pagar a Ancara pela libertação do pastor norte-americano Andrew Brunson mas prometeu "reduzir as despesas" com a Turquia. Em uma conversa com a Sputnik, o cientista político Nikita Isaev comenta a situação.

    "Não vamos pagar nada pela libertação de um homem inocente, mas vamos reduzir as despesas com a Turquia", escreveu o presidente na sua conta do Twitter, acusando a Turquia de se ter aproveitado dos EUA por muito tempo.

    As relações entre Ancara e Washington têm se agudizado ultimamente, inclusive por causa do processo iniciado contra o pastor estadunidense detido na Turquia. No início de agosto, o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos introduziu sanções contra o ministro turco da Justiça, Abdulhamit Gul, e o ministro do Interior, Suleyman Soylu, acusando-os de "violações graves dos direitos humanos".

    O diretor do Instituto da Economia Atual, Nikita Isaev, comentou o estado atual das relações americano-turcas ao serviço russo da Rádio Sputnik.

    "Apenas há seis meses ouvimos ele falar sobre o 'homem-foguete" [líder norte-coreano] Kim Jong-un, pouco depois Trump apertou-lhe a mão com muito prazer. É uma abordagem típica de Trump no processo de negociações. Tudo o que está se passando agora é um aumento das "apostas" nas relações entre os EUA e a Turquia", acredita o especialista.

    Ele também esclareceu o que, em sua opinião, o presidente estadunidense quis dizer ao falar da "redução das despesas com a Turquia".

    "Bem no seu estilo, Donald Trump deixou as pessoas em confusão, deixando uma mensagem de que os EUA alegadamente estariam financiando a Turquia. Acontece que a Turquia participa dos programas de investimento norte-americanos, em diferentes uniões econômicas, de onde obtém certos lucros. A Turquia tem um volume significativo de comércio com os EUA, ressaltando ainda que o balanço comercial é de certa forma a favor da Turquia. Tudo isso acontecia em nome da lealdade demonstrada pela Turquia para com os EUA. Mas no momento em que a Turquia decidiu mostrar aos EUA que pode fazer outra escolha geopolítica, lhe explicaram que deixará de receber quaisquer preferências econômicas, bem como políticas", destacou.

    Há uma semana Trump declarou o duplo aumento das tarifas aplicadas ao alumínio e aço turcos — até 20% e 50%, respectivamente. Tal decisão causou a queda da lira turca até um valor histórico. Porém, a moeda do país conseguiu recuperar após a notícia de que o Qatar está disposto a investir 15 bilhões de dólares (quase 60 bilhões de reais) na economia turca.

    Em resposta às ações de Washington, Ancara aumentou drasticamente as tarifas de importação de 22 tipos de artigos estadunidenses, inclusive tabaco, álcool, carros, cosméticos, arroz e frutas.

    Mais:

    Turquia retaliará se EUA impuserem mais sanções, diz ministro
    Turquia implantará política fiscal rígida para reduzir a inflação e conter queda da lira
    EUA ameaça Turquia com novas sanções se pastor norte-americano não for libertado
    Tags:
    sanções, tarifas, Kim Jong-un, Donald Trump, Recep Tayyip Erdogan, Coreia, EUA, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik