08:42 10 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Polícia usa um canhão de água contra milhares de romenos em um protesto contra o governo na capital Bucareste, 10 de agosto de 2018.

    Presidente romeno manda investigar brutalidade policial em protesto com 400 feridos

    © REUTERS / Octav Ganea
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 0 0

    O presidente da Romênia, Klaus Iohannis, exigiu que o procurador-geral do país, Augustin Lazar, investigue as ações da polícia no protesto contra o governo realizado ontem em Bucareste, informou a assessoria presidencial. Cerca de 400 pessoas ficaram feridas.

    "O presidente romeno Klaus Iohannis exigiu que o procurador-geral da Romênia, Augustin Lazar, investigasse a situação e determinasse que métodos a polícia usou para restaurar a ordem pública no protesto que ocorreu na Praça da Vitória em Bucareste na sexta-feira", declarou a assessoria de imprensa presidencial.

    Iohannis salientou que a identidade e o grau de culpabilidade daqueles que participaram da agitação devem ser reveladas.

    No começo do dia, a Gendarmaria disse que mais de 30 pessoas foram detidas no protesto de sexta-feira, que foi marcado por surtos de violência. A polícia usou amplamente gás lacrimogêneo e canhões de água. 

    De acordo com a mídia local, o gás lacrimogêneo foi usado de forma aleatória, atingindo tanto manifestantes pacíficos como os violentos. O presidente romeno já denunciou as ações da polícia, chamando-as de "muito duras".

    Mais de 400 pessoas ficaram feridas no protesto, 70 foram hospitalizadas, incluindo 11 policiais.

    Os manifestantes pediram a dissolução do Parlamento, uma eleição antecipada e o estabelecimento de um parlamento unicameral com 300 senadores.

    Tags:
    Parlamento da Romênia, Augustin Lazar, Klaus Werner Iohannis, Praça da Vitória, Bucareste, Romênia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik