17:04 17 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Militares sírios no deserto de As-Suwayda

    Exército sírio avança contra terroristas no sul do país (FOTOS, VÍDEO)

    © Sputnik /
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6200

    O exército sírio bloqueou as vias de reabastecimento dos terroristas do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em outros países) entre At-Tanf e os subúrbios de As-Suwayda, situada no sul do país.

    Os militares sírios avançaram 25 quilômetros em profundidade no deserto e destruíram linhas defensivas dos terroristas. Como resultado da operação, as forças da República Árabe conseguiram destruir a via logística dos combatentes entre AT-Tanf e os subúrbios de As-Suwayda.

    © Sputnik .
    Forças sírias avançam na província de As-Suwayda

    O correspondente da Sputnik Árabe, que agora está na parte oriental da província de As-Suwayda, comunica que a operação foi levada a cabo a partir de quatro direções em simultâneo. As forças sírias conseguiram libertar importantes posições estratégicas, tais como as elevações de Tel Razin, Tel Hasan, tel Tamthunah e al Safa.

    • Militares sírios no deserto de As-Suwayda
      Militares sírios no deserto de As-Suwayda
      © Sputnik /
    • Militares sírios no deserto de As-Suwayda
      Militares sírios no deserto de As-Suwayda
      © Sputnik /
    1 / 2
    © Sputnik /
    Militares sírios no deserto de As-Suwayda

    Por sua vez, os terroristas empreendem regularmente tentativas de romper o cerco em seu redor e atacam as posições do exército. Nesta terça-feira (7), um homem-bomba se explodiu perto da elevação de Tel Razin, que o exército sírio tinha ocupado na véspera. Como resultado, 4 soldados foram mortos, 5 outros ficaram feridos.

    Mais:

    ONU: conflito na Síria está perto do seu fim
    China se tornará 'pesadelo para EUA' na Síria? Analista explica
    Mídia explica que EUA podem enfrentar 'cenário de pesadelo' na Síria
    Tags:
    terroristas, exército sírio, avanço, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik