12:31 14 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Militantes do Daesh na fronteira Síria-Iraque (arquivo)

    Por que EUA 'fecham os olhos perante atividades terroristas' do Daesh?

    © AFP 2018 / ALBARAKA NEWS
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1091

    Um dos membros do Conselho da província iraquiana de Anbar, Farhan Muhammed al Dulaimi, declarou à imprensa que os terroristas do Daesh continuam atravessando a fronteira sírio-iraquiana nas regiões desérticas.

    Ele assinalou que "essas movimentações ocorrem à vista da aviação norte-americana".

    "Toda a informação que obtemos indica que os norte-americanos fecham os olhos perante as atividades dos terroristas. A ameaça à segurança é usada pelos estadunidenses como um instrumento de influência sobre as decisões tomadas no Iraque, por exemplo, a composição do governo em formação", comentou para a Sputnik Árabe o especialista em estratégia iraquiano Ahmed al Sharifi.

    Para ele, o Daesh [grupo terrorista proibido na Rússia e em vários países] é um projeto de investimentos dos EUA para exercer pressão sobre Bagdá. Ahmed al Sharifi opinou também que o Iraque faz parte da política destinada a garantir a segurança nacional americana. Em primeiro lugar, os norte-americanos precisam do país para executar a estratégia de Trump de conter o Irã e a China. Em segundo lugar, para contrariar a presença russa na Síria.

    Segundo o especialista, é obvio para todos que a Rússia não abandonará a Síria depois de vencer os terroristas, é um exemplo de uma longa cooperação estratégica. Já os EUA fazem todo o possível para se radicarem no país vizinho. Através do Irã e da Síria passam vias importantes de transporte de petróleo e gás, além disso, eles são possíveis elos da nova Rota da Seda a partir da China.

    "Sabe-se que a título de conselheiros e funcionários das missões diplomáticas no Iraque estão milhares de militares americanos. Seu número exato é ocultado. Esses militares podem exercer uma influência bem real na situação política no Iraque", disse o especialista militar Ahmed al Sharifi.

    Ele acrescenta que para os norte-americanos é proveitoso que os terroristas não sejam definitivamente eliminados. Isso dá um pretexto para os soldados estadunidenses continuarem em um país que não é deles.

    Mais:

    Hezbollah: terroristas por trás dos ataques no sul da Síria recebem 'assistência' dos EUA
    Assessor do líder iraniano: logo que Irã e Rússia deixarem Síria, terroristas voltarão
    Relatos: terroristas do Daesh executam refém na Síria
    Tags:
    colaboração, terroristas, Daesh, Federação Russa, Iraque, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik