17:59 14 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Riade

    Mídia: Sauditas admitem primeiro diplomata do Irã desde o encerramento de relações em 2016

    © AP Photo / Markus Schreiber
    Oriente Médio e África
    URL curta
    471

    Citando uma fonte diplomática governamental, a agência oficial de notícias iraniana IRNA informou que a Arábia Saudita concordou em emitir um visto para o chefe e os funcionários da seção de interesses do Irã programados para assumir funções diplomáticas. É a primeira aproximação significativa entre os países desde 2016.

    Este escritório supostamente operará na missão suíça, que funcionou como um canal diplomático entre os dois estados rivais desde quando ambos os lados cortaram relações.

    "Os observadores viram isso como um passo diplomático positivo nas relações entre Teerã e Riade", afirmou a agência.

    Os oficiais sauditas ainda não comentaram a reportagem.

    O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Bahram Qasemi, indicou recentemente que houve um "avanço" nas relações Riade-Teerã, prevendo uma abertura para o cargo de proteção de interesses, embora um pedido de visto ainda estivesse sendo processado.

    "Até duas semanas atrás, nenhum visto havia sido emitido para os nomes que enviamos há muito tempo", disse ele, conforme citado pela agência de notícias.

    A Arábia Saudita rompeu relações diplomáticas com seu rival regional de longa data, o Irã, em 2016, depois de um ataque da embaixada saudita em Teerã por manifestantes indignados com a execução do clérigo xiita Nimr al-Nimr. Ele e outras 42 pessoas condenado por terrorismo pelo reino.

    Em dezembro de 2017, o presidente iraniano, Hassan Rouhani, nomeou duas condições para restaurar as “boas relações” entre os dois países: Riade deve "interromper a desorientada amizade com Israel e o desumano bombardeio do Iêmen”.

    Tags:
    IRNA, Ministério das Relações Exteriores do Irã, Nimr al-Nimr, Bahram Qasemi, Hassan Rouhani, Israel, Iêmen, Irã, Teerã, Arábia Saudita, Riade
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik