18:40 19 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Foto do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, entre bandeiras do país, em Istambul, dois dias antes do referendo de 16 de abril de 2017

    Turquia prepara medidas de resposta contra EUA

    © REUTERS / Alkis Konstantinidis
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7251

    A Turquia vai congelar os ativos de dois altos funcionários dos EUA como resposta às sanções norte-americanas contra Ancara, anunciou o presidente do país, Recep Tayyip Erdogan.

    "O último passo dado pelos EUA quanto ao caso do pastor Brunson em Esmirna não foi adequado para um parceiro estratégico. Os EUA mostraram com isso uma séria falta de respeito", destacou Erdogan, citado pela revista Hurriyet.

    "Mostramos paciência até ontem à tarde. Hoje estou dando instruções a meus amigos para congelar os ativos dos secretários de Justiça e do Interior dos EUA na Turquia, se eles os tiverem", acrescentou. "Aqueles que pensam que podem fazer a Turquia recuar recorrendo a uma linguagem ameaçadora e a sanções absurdas mostram que não conhecem a nação turca".

    Trata-se do secretário do Interior Ryan Zinke e do procurador-geral Jeff Sessions.

    O ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, também declarou que "uma linguagem ameaçadora não vai fazer a nação turca ceder".

    De acordo com ele, "ninguém pode obter um resultado da Turquia por meio de pressão e sanções". Para além disso, propôs a Washington que se sente à mesa para negociar e "conversar como dois aliados".

    Os EUA anunciaram sanções contra os ministros da Justiça e do Interior da Turquia, Abdulhamit Gul e Suleyman Soylu, respectivamente, devido a supostas violações dos direitos humanos do pastor Andrew Brunson, que foi detido no território turco.

    Brunson, pastor cristão da Carolina do Norte, foi acusado de ter ligações com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e da organização terrorista FETO, que Ancara responsabiliza pelo golpe de Estado fracassado de 2016.

    Mais:

    Assistente de Pompeo diz que venda do S-400 para Turquia seria 'catástrofe' para os EUA
    Turquia protesta contra sanções dos EUA aplicadas aos seus ministros
    Turquia considera 'inaceitável' o 'uso de linguagem ameaçadora' pelos EUA
    Tags:
    resposta, sanções, Recep Tayyip Erdogan, EUA, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik