07:45 17 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Edifícios desmoronados perto do antigo campo de refugiados palestinos de Yarmouk, nos arredores de Damasco

    Diplomata russo acusa órgão da ONU de distorcer fatos para prejudicar Síria

    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2130

    O Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (EACDH) consegue cinicamente distorcer os fatos ao especular sobre a tragédia na cidade síria de As-Suwayda e acusar Damasco de estar fortalecendo a concentração de militantes do Daesh no sul do país, informou uma fonte diplomática russa à Sputnik.

    "A declaração do EACDH é uma distorção cínica dos fatos. Não houve e não poderia haver nenhum acordo com Daesh [organização terrorista proibida na Rússia]. Não houve nenhuma relocação de terroristas de Yarmouk, Tadamon e Hajar al-Aswad, como é afirmado em uma declaração do EACDH. Durante o período mencionado foi organizada uma ação humanitária para evacuação de mulheres e crianças dessas regiões para Idlib, que aconteceu no fim do mês sagrado do Ramadã. A meta era impedir que houvesse vítimas na zona da operação antiterrorista contra o Daesh", afirmou.

    O diplomata apontou que a declaração do EACDH foi uma tentativa de acusar Damasco de cooperar com o Daesh, enquanto o governo sírio vem lutando para eliminar o terrorismo no país devastado pela guerra.

    Bandeiras da Rússia e da Síria no convés do porta-aviões russo Admiral Kuznetsov no Mediterrâneo
    © Sputnik / Serviço de Imprensa da Frota do Norte/Andrey Luzik/USO EDITORIAL
    "Nesse sentido, temos testemunhado muitos casos de evacuação de terroristas do Daesh como parte de acordos firmados com a participação da coalizão internacional liderada pelos EUA. Essa declaração do EACDH confirma novamente que a organização está auxiliando opositores do governo legítimo da Síria. A tentativa dos funcionários do EACDH de usar eventos sangrentos em As-Suwayda para formulação de falsas acusações contra as autoridades sírias […] é simplesmente chocante", acrescentou.

    Na terça-feira (31), o EACDH divulgou um comunicado criticando o governo sírio por suposta transferência de terroristas do Daesh para a província síria de As-Suwayda, que, segundo a agência da ONU, resultou no assassinato de mais de 200 pessoas.

    Mais:

    Sistema de defesa da Rússia derruba drone inimigo na Síria
    Rússia: Sanções ocidentais dificultam retorno dos refugiados para Síria
    Tags:
    guerra civil, ataque, terroristas islâmicos, coalizão internacional, Daesh, ONU, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik