21:26 20 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Ahed Tamimi fala com a imprensa após ser solta.

    Israel liberta adolescente palestina ícone da resistência

    © AFP 2018 / ABBAS MOMANI
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6100

    Ahed Tamimi, de 17 anos, tornou-se uma celebridade e um ícone da resistência da Palestina após ser presa por chutar um soldado de Israel. Ela ficou presa por quase oito meses e foi libertada por Israel neste domingo (29).

    A mãe de Tamimi transmitiu a briga dela com o soldado israelense ao vivo no Facebook. O presidente palestino, Mahmoud Abbas, descreveu Tamimi como "um modelo de resistência civil pacífica, provando ao mundo que nosso povo palestino permanecerá firme e constante em suas terras, não importando o sacrifício".

    Abbas já se encontrou com a jovem palestina e sua mãe.

    Já Israel disse que o episódio foi uma provocação encenada. 

    Vestindo seu cachecol árabe quadriculado nas cores preto e branco quando voltou para casa, Tamimi cumprimentou dezenas de simpatizantes. Fora da casa de um aldeão morto pelas forças israelenses, ela disse que irá continuar lutando contra a ocupação de Israel.

    "Vou continuar meu curso universitário e estudarei direito para poder abordar a causa do meu país em todos os fóruns internacionais e poder representar a causa dos prisioneiros", disse Tamimi. "A prisão me ensinou muitas coisas, eu fui capaz de descobrir o caminho certo para entregar a mensagem da minha terra natal."

    Tamimi, que tinha 16 anos no momento de sua detenção, enfrentou 12 acusações, mas em março se declarou culpada para conseguir uma redução de pena. 

    Os palestinos defendem que a Cisjordânia faça parte de seu futuro Estado, junto com Jerusalém Oriental e a Faixa de Gaza. A maioria dos países e a Organização das Nações Unidas (ONU) considera os assentamentos israelenses na Cisjordânia ilegais, algo que Israel contesta.

    As negociações patrocinadas pelos EUA sobre a criação de um Estado palestino ao lado de Israel estão paralisadas desde 2014.

    O caso de Tamimi atraiu a atenção mundial e a Anistia Internacional disse que sua sentença estava em desacordo com a lei internacional.

    Mais:

    Lei israelense que congela fundos à Palestina é 'declaração de guerra', diz porta-voz
    Fim do isolamento? Israel negocia porto para atender Palestina
    Corbyn diz que reconheceria a Palestina rapidamente caso eleito no Reino Unido
    Conflito entre Israel e Palestina não pode ser resolvido militarmente, diz diplomata russo
    Desemprego na Palestina é o maior do mundo e atinge mais as mulheres e jovens
    Tags:
    Palestina, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik