10:26 15 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    O então presidente da Fifa, Blatter, anuncia a sede do Mundial de 2022.

    Qatar contratou ex-agentes da CIA para garantir Copa de 2022

    © AP Photo /
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 02

    O Qatar fez uma campanha secreta de inteligência para garantir a vitória na eleição da FIFA que escolheu a sede da Copa do Mundo de 2022.

    O jornal inglês Sunday Times afirmou que obteve e-emails que mostram que o Qatar pagou uma empresa de relações públicas e ex-agentes da CIA para divulgar "propaganda falsa" sobre os principais rivais no pleito: Austrália e Estados Unidos. 

    A estratégia do Qatar era recrutar indivíduos influentes para criticar as candidaturas em seus países de origem, criando a impressão de que havia "apoio zero" para sediar a Copa do Mundo entre a população local, disse o jornal.

    Um bombardeiro estratégico B-52 da Força Aérea dos EUA chega a base militar norte-americana de Al Udeid no Qatar (foto de arquivo)
    © REUTERS / U.S. Air Force/Tech. Sgt. Terrica Y. Jones
    As regras da FIFA determinam que os países que disputam o direito de sediar uma Copa do Mundo não podem comentar sobre outras candidaturas. 

    Mas um dos e-mails vazados pelo jornal britânico indica que o vice-líder da candidatura do Qatar sabia da campanha de inteligência que estava em curso.

    Uma das operações feitas foi oferecer US$ 9 mil a um professor dos EUA para que ele publicasse um texto sobre o ônus econômico de sediar um mundial.

    Mais:

    Putin entrega 'bola de obrigações' a Qatar e diz ter orgulho na Copa 2018
    Especialista: plano da Arábia Saudita de tornar Qatar uma ilha está condenado ao fracasso
    Como construção do canal pela Arábia Saudita poderia afetar Qatar?
    Arábia Saudita pretende construir canal para transformar Qatar em ilha
    'É uma decisão soberana': Qatar responde à suposta ameaça de Riad pela compra dos S-400
    Senador russo: postura da Arábia Saudita não afetará fornecimento de S-400 a Qatar
    Tags:
    Qatar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik