14:16 21 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    View of Cairo, Egypt. (File)

    Egito quer condenar 75 militantes da Irmandade Muçulmana à morte por protestos em 2013

    © Sputnik / Eduard Pesov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    330
    Nos siga no

    Um tribunal do Cairo pediu uma sentença de morte para 75 indivíduos, incluindo membros do grupo Irmandade Muçulmana, por sua participação no atentado de 2013 e encaminhou o caso para o principal mufti do Egito para aprovação, segundo o portal Masrawy.

    O procedimento de submeter o dossiê ao topo da lista para a aprovação da sentença de morte é puramente técnico, informou o portal de notícias Masrawy, acrescentando que o veredito final do caso será anunciado em 8 de setembro.

    Quase todos os líderes da Irmandade Muçulmana foram presos. A liderança do grupo é acusada de enfraquecer os princípios do Estado e provocar caos no país ao encenar ataques a delegacias de polícia e instituições estatais.

    Em julho de 2013, em meio à onda de descontentamento público com o governo da Irmandade Muçulmana, o exército egípcio depôs o presidente Mohammed Morsi e declarou um período de transição no país.

    Apoiadores de Morsi fizeram protestos em massa, exigindo sua reintegração. Centenas de egípcios foram mortos em distúrbios e confrontos subsequentes, incluindo o massacre de Rabaa em agosto de 2013, quando pelo menos 813 pessoas foram mortas em uma brutal dispersão de um protesto pró-Morsi no Cairo.

    Tags:
    Massacre de Rabaa, Masrawy, Irmandade Muçulmana, Mohammed Morsi, Egito
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar