23:45 15 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    View of Cairo, Egypt. (File)

    Egito quer condenar 75 militantes da Irmandade Muçulmana à morte por protestos em 2013

    © Sputnik / Eduard Pesov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    330

    Um tribunal do Cairo pediu uma sentença de morte para 75 indivíduos, incluindo membros do grupo Irmandade Muçulmana, por sua participação no atentado de 2013 e encaminhou o caso para o principal mufti do Egito para aprovação, segundo o portal Masrawy.

    O procedimento de submeter o dossiê ao topo da lista para a aprovação da sentença de morte é puramente técnico, informou o portal de notícias Masrawy, acrescentando que o veredito final do caso será anunciado em 8 de setembro.

    Quase todos os líderes da Irmandade Muçulmana foram presos. A liderança do grupo é acusada de enfraquecer os princípios do Estado e provocar caos no país ao encenar ataques a delegacias de polícia e instituições estatais.

    Em julho de 2013, em meio à onda de descontentamento público com o governo da Irmandade Muçulmana, o exército egípcio depôs o presidente Mohammed Morsi e declarou um período de transição no país.

    Apoiadores de Morsi fizeram protestos em massa, exigindo sua reintegração. Centenas de egípcios foram mortos em distúrbios e confrontos subsequentes, incluindo o massacre de Rabaa em agosto de 2013, quando pelo menos 813 pessoas foram mortas em uma brutal dispersão de um protesto pró-Morsi no Cairo.

    Tags:
    Massacre de Rabaa, Masrawy, Irmandade Muçulmana, Mohammed Morsi, Egito
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik