06:13 15 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Ex-presidente do Egito Mohamed Mursi durante a sessão de tribunal, Cairo, Egito, 7 de maio de 2016

    Egito retira 1.500 pessoas da lista de terroristas, incluindo o ex-presidente Mursi

    © AFP 2018 / KHALED DESOUKI
    Oriente Médio e África
    URL curta
    121

    O Tribunal de Cassação do Cairo removeu mais de 1.500 pessoas da lista de terroristas, incluindo o ex-presidente Mohamed Mursi, informou o portal de notícias Youm7.

    As pessoas nesta lista são acusadas de ter ligações com a organização terrorista da Irmandade Muçulmana (proibida no Egito e na Rússia).  Segundo a imprensa, seus casos foram enviados para revisão.

    O ex-presidente Mursi, juntamente com seus filhos, foi um dos primeiros a aparecer nesta lista. Além disso, o astro do futebol do Egito, Mohamed Aboutrika, que atualmente está no Catar, também foi retirado da lista.

    Seção de uma estrutura de tijolo greco-romana descoberta no campo arqueológico de Sa el-Hagar, ao norte do Cairo
    © AP Photo / Ministério egípcio de antiguidades / AP
    Todos os integrantes da lista estão proibidos de sair do país e seus recursos foram congelados.

    Fundado em 1928 no Egito, o movimento da Irmandade Muçulmana é uma associação político-religiosa que tem muitos adeptos em vários países árabes.

    O grupo foi banido no país pouco depois do golpe militar que em julho de 2013 derrubou o então presidente Mursi.

    Tags:
    terroristas, lista, terrorismo, Egito
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik