19:12 17 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Fumaça e chamas subindo sobre um tanque de armazenamento de petróleo incendiado durante um combate entre grupos rivais em Ras Lanuf, Líbia.

    Produção de petróleo na Líbia será cortada por conta de conflitos, diz estatal

    © REUTERS / The National Oil Corporation
    Oriente Médio e África
    URL curta
    302

    A companhia estatal de petróleo da Líbia afirmou nesta sexta-feira (29) que pretende suspender as operações em dois importantes terminais de exportação no fim de semana, reduzindo a produção de petróleo em cerca de 800 mil barris por dia.

    O anúncio foi feito depois que o governo de unidade da Líbia pediu na terça-feira que a ONU bloqueie as exportações "ilegais" de petróleo do país após um grupo rival tomar o controle de dois portos no leste do país, Zweitina e Al-Hariga.

    A National Oil Company (NOC) disse que "antecipa" que "motivos de força maior" terão que ser declarados pelas dificuldades nos portos.

    As refinarias de Ras Lanuf e Al-Sidra foram tomadas de milícias locais na semana passada pelo militar Khalifa Haftar, mas ele disse que todas as receitas futuras dos terminais sob seu controle seriam entregues a uma administração não reconhecida no leste do país.

    A NOC, que é controlada pelo governo de unidade reconhecido pelas Nações Unidas em Trípoli, acusou na sexta-feira as forças de Haftar de impedir que embarcações entrem nos portos.

    Os bloqueios "são crimes sob as leis da Líbia e internacional, e estão custando à nação líbia dezenas de milhões de dólares em receita perdida todos os dias", disse a agência.

    Os confrontos já haviam forçado a NOC a suspender as operações em outros dois portos, reduzindo a produção em 450 mil barris de petróleo. 

    O fechamento de Zweitina e Hariga aumenta essas perdas em mais 350 mil barris de petróleo. 

    Grupos armados liderados pelo líder miliciano Ibrahim Jadhran tomaram Ras Lanuf e Al-Sidra em 14 de junho, antes de serem recapturados pelas forças de Haftar.

    A NOC alertou sobre novas perturbações na sexta-feira, dizendo que a refinaria de Sarir, no leste do país, "pode ​​ser forçada a cessar as operações, o que restringirá o fornecimento local de combustível".

    A economia da Líbia depende muito do petróleo. A produção chegou a 1,6 milhão de barris por dia sob o governo do ex-ditador Muammar Kadhafi.

    Após a queda de Kadhafi, a produção caiu cerca de 80% e voltou a ultrapassar a marca de um milhão de barris por dia no final de 2017.

    A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) estima as reservas de petróleo da Líbia em 48 bilhões de barris — as maiores da África. 

    Mais:

    Em ataque aéreo, EUA matam 4 militantes do Daesh na Líbia
    Forças da Líbia assumem o controle da entrada de Derna
    Ataque com carro-bomba deixa ao menos 6 mortos na Líbia
    Por que analogia com Líbia traçada pelos EUA provoca tanta indignação na Coreia do Norte?
    Coreia do Norte avisa os EUA antes de cúpula: 'Nosso país não é a Líbia ou o Iraque'
    Daesh reivindica autoria de atentado suicida na Líbia
    Escritório da comissão eleitoral da Líbia sofre ataque suicida (FOTOS)
    Não farão conosco o que fizeram com o Iraque e a Líbia, diz a Síria
    Intervenção na Líbia: Sarkozy teria usado tropas francesas em interesses pessoais?
    Tags:
    Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik