11:33 18 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Bandeira de Israel

    Israel realiza simulações de ataques com mísseis em seus reatores nucleares

    © Sputnik / Vladimir Astapkovich
    Oriente Médio e África
    URL curta
    143

    A Comissão de Energia Atômica de Israel (IAEC) tem trabalhado para aumentar a segurança dos reatores nucleares Dimona e Nahal Sorek contra possíveis ataques de mísseis do Hezbollah baseado no Irã e no Líbano.

    De acordo com o jornal Haaretz, os membros da IAEC consideram esses desenvolvimentos como a maior ameaça imediata aos reatores. A Comissão realizou recentemente exercícios de treino que simulam um ataque com mísseis a uma das instalações, incluindo a evacuação de pessoal e medidas para evitar fugas de material radioactivo.

    Embora a IAEC tenha tomado precauções, os membros da comissão disseram que é improvável que isso ponha em risco os israelenses.

    Haaretz citou um alto funcionário da IAEC que disse que a pasta transferiu sua sede do norte de Tel Aviv para uma área mais próxima do reator Nahal Sorek e afirmou que os funcionários estarão seguros mesmo no caso de um ataque com mísseis.

    Ao mesmo tempo, a IAEC afirmou que entendia que tal cenário espalharia o medo entre os israelenses, então a comissão está trabalhando em uma explicação apropriada para abordar corretamente a situação potencial.

    No mês passado, cientistas nucleares israelenses discutiram estudos revelando o que aconteceria se um míssil atingisse um dos reatores. De acordo com uma pesquisa publicada no Journal of Nuclear Engineering and Radiation Science no ano passado, um míssil Scud pousando a 35 metros do reator poderia causar danos à sua cúpula de proteção e interromper os sistemas de controle responsáveis por operá-lo e resfriá-lo.

    Tel Aviv citou as declarações do líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, quando disse no ano passado que o grupo teria como alvo o reator nuclear Dimona de Israel, que considerou "antiquado" e afirmou que "não precisa de muita força para atacar".

    Acredita-se que os militares israelenses acreditem que o Hezbollah possui entre 100.000 e 120.000 foguetes de curto e médio alcance, além de várias centenas de mísseis de longo alcance.

    Durante sua viagem pela Europa no início deste mês, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu afirmou que o Irã usaria em breve seu programa de enriquecimento de urânio para destruir o Estado judeu, acrescentando que Tel Aviv não permitiria que o Irã "obtivesse armas nucleares".

    A observação de Netanyahu seguiu o anúncio de Behrouz Kamalvandi, porta-voz da agência nuclear do Irã, de que a República Islâmica informou a agência nuclear da ONU sobre suas ações para aumentar a capacidade de enriquecimento nuclear do país dentro dos limites estabelecidos no Plano de Ação Integral Conjunto (JCPOA).

    Tags:
    mísseis, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik