22:54 22 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Ruínas na cidade síria de Homs

    Análise: 'Por pressão midiática, Israel deve continuar derramamento de sangue na Síria'

    © Sputnik / Mikhail Alaeddin
    Oriente Médio e África
    URL curta
    341

    Após dois mísseis israelenses atingirem alvos próximo a um aeroporto sírio na terça-feira, o jornalista investigativo e membro do Movimento de Solidariedade à Síria, Rick Sterling disse à Sputnik que a probabilidade de Israel recuar de seus ataques é muito pequena.

    Como a Sputnik relatou anteriormente, a Força Aérea de Israel tentou um ataque noturno a um avião de carga iraniano que estava descarregando no Aeroporto Internacional de Damasco. 

    O incidente ocorreu após vários ataques de Israel nos últimos meses, no que Tel-Aviv classifica como medidas "retaliatórias" contra a presença do Irã na Síria, considerada pelas autoridades do país uma ameaça à segurança israelense. O Irã está presente na Síria desde que o conflito começou em 2011.

    Em entrevista à Rádio Sputnik americana, Sterling afirmou que o lançamento do míssil provou que Israel não tem intenção de ajudar a resolver o conflito sírio, mas sim que espera manter a guerra em andamento.

    "Acho que Israel continua a provocar a situação", disse Sterling. "Eles não querem ver o conflito acabar, eles querem prolongar o derramamento de sangue e impedir que o governo sírio derrote o terrorismo na Síria. Eles atuaram por muitos anos como um protetorado dos grupos terroristas (…) e estiveram ativamente envolvidos no conflito desde o início 9 (…). Eles trataram terroristas em instalações médicas dentro de Israel, com o [primeiro-ministro israelense] Benjamin Netanyahu sendo filmado cumprimentando os extremistas tratados com medicação", destacou Sterling.

    Destacando a insistência de Israel em proclamar o Irã como uma ameaça, o jornalista ressaltou que o país tem repetidamente escalado a questão.

    "Israel usa o Irã como pretexto, (…) sempre alegam que estão atacando armamentos destinados ao Hezbollah ou armamentos do Irã ou de contingentes iranianos", afirmou o jornalista. "Eles exageraram a participação iraniana no conflito desde o início".

    "É uma situação perigosa agora. Não sabemos quais são os cálculos em Israel e é muito difícil prever o que os EUA vão fazer — há desejos conflitantes dentro das forças armadas dos EUA, da CIA e do establishment de segurança nacional", Sterling observou.

    Prevendo que a cobertura da mídia sobre o assunto, Sterling sugeriu que os canais acabariam criando "alegações e medos sensacionalistas sobre civis, como alvos civis e eventos muito horríveis que estão sempre prestes a acontecer".

    Tags:
    Aeroporto Internacional de Damasco, Guerra Civil Síria, Movimento de Solidariedade à Síria, Rádio Sputnik, Força Aérea de Israel, Hezbollah, CIA, Rick Sterling, Benjamin Netanyahu, Tel-Aviv, Irã, Síria, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik