13:37 17 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Ciclista pedala em Tel Aviv em frente a um prédio iluminado com as cores da bandeira russa

    Embaixada da Rússia em Israel promove evento em Jerusalém pela primeira vez

    © REUTERS / Baz Ratner
    Oriente Médio e África
    URL curta
    496

    A embaixada russa em Israel recebeu uma recepção para seu dia nacional em Jerusalém pela primeira vez nesta quinta-feira, em vez de realizá-la em Tel Aviv, informou uma autoridade da Rússia.

    A recepção ocorre após a transferência da embaixada dos Estados Unidos de Tel Aviv para Jerusalém, em maio, depois que o presidente estadunidense Donald Trump reconheceu a cidade disputada como capital de Israel.

    Antes dessa decisão, o governo russo disse no ano passado que considera "a região oeste de Jerusalém como a capital de Israel". A mesma declaração também reconheceu "Jerusalém Oriental como a capital do futuro Estado palestino".

    Dmitry Alushkin, porta-voz da embaixada da Rússia em Tel Aviv, disse que o evento de quinta-feira é consistente com as declarações de abril de 2017 de seu país.

    Participando da recepção, na Missão São Sérgio, de propriedade russa, no oeste de Jerusalém, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse estar duplamente satisfeito em participar.

    "É feriado da Rússia e é um feriado que está sendo iniciado e realizado em Jerusalém", disse um comunicado do governo. "Imagino que haverá muitos outros dias em Jerusalém", acrescentou.

    Os palestinos afirmam que a parte oriental de Jerusalém, anexada por Israel, é a capital do seu futuro Estado. Já o Estado judeu considera a cidade inteira como capital "indivisível".

    Em dezembro, Trump reconheceu Jerusalém como a capital israelense, sem fazer qualquer distinção entre o leste predominantemente palestino e o oeste predominantemente judeu. Seu movimento rompeu com décadas de consenso internacional de que o status de Jerusalém deve ser negociado entre Israel e os palestinos, e chegou perto da condenação global.

    Particularmente enfurecidos ficaram os palestinos, que declararam um boicote diplomático dos Estados Unidos. A administração Trump disse que a medida não prejudicou o status final da cidade, nem as fronteiras da soberania israelense.

    Mais:

    Mazal Tov! Advogado de Trump, Rudy Giuliani se joga na pista de dança em Jerusalém (VÍDEO)
    Forças de Israel neutralizam célula em Jerusalém que preparava ataque contra Netanyahu
    Liga Árabe desenvolve plano para conter reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel
    Tags:
    relações bilaterais, Missão São Sérgio, diplomacia, embaixada, Dmitry Alushkin, Benjamin Netanyahu, Tel Aviv, Palestina, Jerusalém, Estados Unidos, Israel, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik