00:44 17 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Militantes do braço armado do Hamas na Faixa de Gaza

    Hamas e Israel teriam alcançado trégua após agravamento da situação na fronteira

    © REUTERS / Ibraheem Abu Mustafa
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1 0 0

    O movimento palestino Hamas anunciou ter chegado a acordo com Israel para restabelecer o regime de cessar-fogo. A iniciativa se segue às trocas de ataques violentos que duraram quase um dia inteiro.

    Na madrugada do dia 29, nos conselhos regionais israelenses de Eshkol, Sha'ar HaNegev e Sdot Negev, que fazem fronteira com a Faixa de Gaza, foram ativadas sirenes de alarme após as forças palestinas terem lançado mais de 25 projéteis. Em resposta, a Força Aérea de Israel atacou alvos no sul da Faixa de Gaza. Contudo, de manhã, a situação ficou mais calma na zona do confronto. 

    O representante do Hamas, Khalil al-Hayya afirmou que "nas últimas horas, foram empreendidos esforços de mediadores e foi alcançado um acordo para retornar ao cessar-fogo na Faixa de Gaza".

    Porém, o ministro da Inteligência israelense, Yisrael Katz, desmentiu essas informações, negando que os dois lados tivessem chegado a acordo.

    "Israel não quer que a situação se deteriore, contudo, os que iniciaram a violência devem acabar com ela", afirmou. 

    Anteriormente, várias mídias árabes comunicaram que os dois lados teriam acordado uma trégua com a mediação do Egito, que deveria entrar em vigor à meia noite. Contudo, mesmo após essa hora, as ações de combate continuaram.

    Ao longo das últimas semanas têm sido reportados numerosos incidentes na Faixa de Gaza, onde, desde o fim de março, os palestinos estão levando a cabo a Grande Marcha de Retorno, reivindicando seu direito de regressar às terras de onde foram expulsos.

    Desde 14 de maio, os distúrbios se intensificaram com a abertura da embaixada dos EUA em Jerusalém, ato que provocou forte indignação entre palestinos e todo o mundo árabe. 

    Mais:

    EUA convocam reunião do Conselho de Segurança da ONU para discutir ataques a Israel
    Israel concorda com presença das tropas sírias perto de suas fronteiras com uma condição
    Parlamento de Israel retira de pauta reconhecimento do genocídio armênio
    Tags:
    confronto, trégua, Hamas, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik