10:19 26 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Sessão no Knesset, parlamento de Israel (arquivo)

    Parlamento de Israel retira de pauta reconhecimento do genocídio armênio

    © AP Photo / Ariel Schalit
    Oriente Médio e África
    URL curta
    319

    O presidente do Knesset, o parlamento de Israel, Yuli Edelstein, retirou da agenda da Casa o possível reconhecimento do genocídio armênio, tema de grande polêmica internacional.

    De acordo com o Jerusalem Post, o Knesset estava programado para votar nesta terça-feira a proposta. No entanto, Edelstein, que é favorável ao reconhecimento, preferiu retirar a matéria de pauta hoje por não saber se conseguiria a maioria necessária para aprovação. 

    O possível reconhecimento de tal evento por parte de Tel Aviv, segundo destaca o jornal, poderia causar problemas nas relações israelenses com o Azerbaijão e deteriorar ainda mais os laços com a Turquia, já enfraquecidos por conta da atuação das forças de Israel na Faixa de Gaza, onde dezenas de palestinos foram mortos durante protestos contra o reconhecimento internacional de Jerusalém como capital israelense. 

    Estima-se que cerca de 1 milhão de armênios tenham sido mortos pelas autoridades do Império Otomano no início do século XX. A Turquia, herdeira do império, nega a ocorrência de genocídio, alegando que as vítimas nesse caso não seriam de uma etnia específica. 

    Mais:

    Diretores premiados em Cannes explicam protesto em favor do 'fim do genocídio indígena'
    Senador australiano diz que agricultores brancos são alvo de 'genocídio' na África do Sul
    Holanda reconhece genocídio armênio
    Analista: EUA estão envolvidos diretamente no genocídio do povo sírio
    ONU: terroristas do Daesh cometeram em Mossul 'crimes contra humanidade', genocídio
    Tags:
    genocídio, Knesset, Yuli Edelstein, Armênia, Império Otomano, Azerbaijão, Tel Aviv, Faixa de Gaza, Palestina, Turquia, Jerusalém, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik