15:44 24 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Soldados do exército autodenominado do líder líbio, Khalifa Haftar, participam de um desfile militar na cidade de Benghazi.

    Forças da Líbia assumem o controle da entrada de Derna

    © AFP 2018 / Abdullah DOMA
    Oriente Médio e África
    URL curta
    470

    O Exército Nacional da Líbia (LNA), liderado pelo marechal de campo Khalifa Haftar, libertou a entrada da cidade de Derna de terroristas, disse nesta segunda-feira o porta-voz do LNA, Ahmed Al-Mismari.

    "O Exército assumiu o controle da entrada de Derna e cinco novas posições", disse o porta-voz no Twitter.

    No início de maio, Haftar anunciou o início de uma operação militar para libertar Derna, que está sitiada desde a derrubada de Muammar Kadhafi, em 2011. Em 8 de maio, uma fonte militar líbia informou à Sputnik que o Exército Nacional Líbio assumiu o controle dos distritos a oeste da cidade. No início desta semana, Haftar disse que as tropas estavam próximas de obter a libertação de Derna.

    Derna está localizada a 997 km a leste de Trípoli e é controlada por grupos terroristas ligados à al-Qaeda. Anteriormente, a cidade era controlada pelo Daesh (autodenominado Estado Islâmico). Esta cidade é considerada a última fortaleza de militantes islâmicos no leste do país, que agora é controlada pelas forças de Haftar.

    A Líbia está em tumulto desde a guerra civil de 2011, que resultou na reviravolta de Gaddafi. A parte oriental do estado em crise é governada por seu parlamento, com sede na cidade de Tobruk. O Parlamento é apoiado pelo LNA, que está envolvido na luta contra os militantes. Ao mesmo tempo, o Governo do Acordo Nacional (GNA) apoiado pela ONU, liderado pelo primeiro-ministro Fayez Sarraj, opera no oeste do país e está sediado em Trípoli.

    Tags:
    Governo do Acordo Nacional, ONU, Al-Qaeda, Daesh, Estado Islâmico, Exército Nacional Líbio, Fayez al-Sarraj, Khalifa Haftar, Muammar Kadhafi, Tobruk, Trípoli, Líbia, Derna
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik