05:43 16 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Combinação de fotos do premiê israelense, Benjamin Netanyahu (à esquerda) e presidente turco, Recep Tayyip Erdogan (foto de arquivo)

    Presidente turco: 'Jerusalém é a capital da Palestina e a reputação dos EUA é quase zero'

    © AFP 2018 / RONEN ZVULUN, OZAN KOSE
    Oriente Médio e África
    URL curta
    181611

    O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, disse na quarta-feira que o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel destruiu a reputação dos EUA em todo o mundo, informou a agência de notícias estatal Anadolu, citando a entrevista de Erdogan com a TRT World.

    "A América quase reduziu sua reputação a zero. Os Estados Unidos e Israel tomaram essa decisão [de transferir a embaixada americana de Tel-Aviv para Israel] que não tem valor. Isso nos mostra que essas ações não são aprovadas em todo o mundo. Se você disser 'Eu tenho dinheiro, eu tenho poder, e posso intimidar todos vocês usando isso', ninguém leva você a sério ", disse o presidente Erdogan.

    Em uma votação no ano passado, a Assembleia Geral da ONU aprovou uma moção condenando o reconhecimento de Trump de Jerusalém como a capital de Israel, enquanto os líderes mundiais e os principais diplomatas continuaram regularmente a expressar sua oposição ao movimento desde então.

    Erdogan passou a insistir que, independentemente do que Trump ou os EUA afirmam, Jerusalém é a capital da Palestina.

    “A capital da Palestina é Jerusalém, e todo mundo sabe disso. Não há hesitação sobre isso. Admita ou não, não importa", disse ele.

    A grande maioria dos Estados não planeja transferir suas embaixadas para Jerusalém, temendo  inflamar ainda mais as tensões na região.

    No período que antecedeu a abertura da Embaixada dos EUA em Jerusalém, dezenas de milhares participaram de protestos na Faixa de Gaza e na Cisjordânia como parte da Grande Marcha de Retorno. As forças de segurança israelenses responderam à onda de protestos coordenados, resultando na morte de mais de 100 manifestantes.

    Enquanto isso, Ancara e Tel-Aviv entraram em uma disputa diplomática sobre a resposta de Israel aos protestos, diminuindo laços diplomáticos.

    Tags:
    Grande Marcha de Retorno, Assembleia Geral da ONU, Recep Tayyip Erdogan, Cisjordânia, Faixa de Gaza, Estados Unidos, Jerusalém, Palestina, Turquia, Israel, Ancara, Tel-Aviv
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik