10:25 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Presidente turco Recep Tayyip Erdogan discursa na cerimônia de entrega de prêmios em Ancara, Turquia, 3 de novembro de 2016

    Erdogan: 'O que Israel fez foi brutalidade, atrocidade e terror de Estado'

    © AFP 2019 / ADEM ALTAN
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1093

    Ancara levará, para consideração da Assembleia Geral da ONU, a situação na Faixa de Gaza, onde dezenas de palestinos foram mortos em confrontos com as forças israelenses, disse o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, nesta sexta-feira (18).

    "Infelizmente, todos os passos que visam assegurar a justiça estão sendo bloqueados no Conselho de Segurança da ONU pelos Estados Unidos. Pretendemos mais uma vez submeter [a questão] à situação na Palestina para a consideração da Assembleia Geral da ONU. Esperamos o apoio de todos os países islâmicos, de todos os que defendem os princípios da justiça", disse Erdogan durante reunião extraordinária da Organização de Cooperação Islâmica (OCI), conforme citação divulgada pela agência de notícias Anadolu.

    O presidente turco pediu que Israel fosse responsabilizado pela morte de pessoas inocentes. "Eu digo claramente: o que Israel fez foi brutalidade, atrocidade e terror de Estado", enfatizou Erdogan.

    Grandes protestos aconteceram na Faixa de Gaza na segunda-feira (14), dia em que se completou o 70º aniversário do estabelecimento de Israel e da transferência da embaixada dos EUA de Tel-Aviv para Jerusalém. Durante os protestos, as forças israelenses usaram armas letais contra os ativistas, o que resultou na morte de mais de 60 palestinos.

    Mais:

    Boca suja: filho de Netanyahu publica ofensa à Turquia no Instagram (FOTO)
    Turquia prende 54 estrangeiros suspeitos de ligação com o Daesh
    Turquia pede que Estados muçulmanos revejam laços com Israel em meio à violência em Gaza
    Ministro turco elogia Teerã: Um Irã forte significa ter uma Turquia forte
    Tags:
    conflito israel palestina, Recep Tayyip Erdogan, Tel-Aviv, Jerusalém, Palestina, Israel, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar