19:48 19 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Secretary of Iran's Supreme National Security Council, Ali Shamkhani

    Irã diz que 'haverá graves consequências' caso EUA quebrem acordo nuclear

    © AP Photo / Vahid Salemi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7110

    Em meio a alegações do presidente dos EUA sobre uma possível retirada do acordo nuclear do Irã e propostas para renegociá-lo, o Irã rejeitou o lançamento de novas negociações, afirmando que haveria graves consequências se os EUA quebrassem o acordo.

    "Este é um acordo internacional… e certamente temos a capacidade de derrotar seu bullying", disse Ali Shamkhani, secretário do Conselho Supremo de Segurança Nacional do Irã, em declarações transmitidas pela televisão estatal iraniana.

    O funcionário questionou as declarações de Trump sobre a revisão do acordo.

    "Você está dizendo que não aceita algo que foi criado sob o último presidente e deve ser mudado", disse Shamkhani, dirigindo-se a Trump. "Quem, então, garante que se algo for feito com você, o próximo presidente não virá e se recusará a aceitá-lo?"

    Trump criticou repetidamente o acordo nuclear iraniano, formalmente conhecido como Plano de Ação Compreensivo Conjunto (JCPOA), chamando-o de "o pior negócio" de todos os tempos. Mais recentemente, o presidente dos EUA ameaçou retirar os Estados Unidos do JCPOA se não fosse emendado, recusando-se a estender o alívio das sanções dos EUA para o Irã.

    A chanceler alemã Angela Merkel e o presidente francês Emmanuel Macron discutiram a questão com Trump durante suas respectivas visitas a Washington; no entanto, o presidente dos EUA disse que ele poderia parar de dispensar as sanções em 12 de maio, quando o próximo prazo para continuar o acordo expira.

    Por sua vez, o presidente iraniano Hassan Rouhani advertiu Washington a permanecer no acordo nuclear com Teerã, prometendo que de outra forma haveria "graves consequências".

    Em 14 de julho de 2015, a UE, o Irã, bem como a Rússia, China, França, Reino Unido e Estados Unidos, mais a Alemanha, também conhecida como grupo de países P5 + 1, assinaram o JCPOA, que garante a natureza pacífica do Programa nuclear do Irã. O Irã prometeu não desenvolver ou adquirir armas nucleares em troca do cancelamento de sanções impostas contra o país.

    Mais:

    Com ou sem acordo, ex-ministro de Israel defende sanções contra o Irã
    Al-Qaeda é mais rica que o Daesh, mas EUA veem mais perigo no Irã, diz oficial russo
    Irã promete bater de frente com Trump caso EUA rompam acordo nuclear
    Irã se diz preparado para fim do acordo nuclear com os EUA
    Netanyahu e ataques de Israel na Síria podem empurrar Trump para guerra com Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik