09:24 22 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente francês, Emmanuel Macron, apertando a mão ao homólogo russo, Vladimir Putin, no Palácio de Versalhes (foto de arquivo)

    Putin e Macron apoiam acordo nuclear iraniano

    © REUTERS / Philippe Wojazer
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4122

    O presidente russo, Vladimir Putin, teve uma conversa telefônica com o seu homólogo francês, Emmanuel Macron, na qual discutiu a situação do acordo nuclear iraniano, informa a assessoria de imprensa do Kremlin.

    "Por iniciativa da parte francesa, foi organizada uma conversa telefônica entre o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o presidente da França, Emmanuel Macron", diz-se no comunicado.

    Conforme a informação existente, Macron informou Putin sobre os resultados da sua visita aos EUA, com ênfase nas negociações quanto à situação do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), referente ao programa nuclear iraniano.

    A assessoria de imprensa do presidente russo também adiciona que "os presidentes da Rússia e França se expressaram a favor da preservação do plano e da sua implementação rigorosa. Além do mais, foram discutidos outros problemas atuais da agenda internacional e bilateral".

    Um dia antes (29), Emmanuel Macron e o presidente iraniano Hassan Rouhani conversaram ao telefone e acordaram em manter o acordo nuclear iraniano.

    A forte controvérsia quanto ao acordo nuclear iraniano começou em outubro de 2017, depois de o presidente norte-americano, Donald Trump, se recusar a voltar a certificar o cumprimento do documento por parte do Irã. Durante a sua campanha eleitoral ele criticou repetidamente o Irã por alegado descumprimento do acordo, ameaçando abandoná-lo.

    Espera-se que em 12 de maio os EUA anunciem se vão ou não estender as sanções norte-americanas contra o Irã.

    Mais:

    EUA se dizem 'profundamente preocupados' com ambição do Irã em 'dominar o Oriente Médio'
    Pentágono faz alerta para 'provável conflito direto' entre Israel e Irã
    Israel: 80 mil 'extremistas' controlados por Irã operam na Síria
    Tags:
    acordo nuclear, Emmanuel Macron, Vladimir Putin, França, Rússia, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik