07:30 15 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Mevlut Cavusoglu

    EUA devem parar de apoiar 'extremistas' na Síria, diz ministro turco

    © AP Photo / Andrew Harnik
    Oriente Médio e África
    URL curta
    560

    O ministro turco das Relações Exteriores, Mevlut Cavusoglu, afirmou neste sábado (28) que os Estados Unidos devem acabar com o apoio a "grupos extremistas", especificamente as Unidades de Proteção do Povo Curdo (PKK). Cidade síria de Manbij e territórios adjacentes.

    "Assim como o Daesh, essas entidades [YPG e PKK] têm que deixar o solo sírio. Estamos levantando essas questões […]. Hoje, os EUA apoiam as atividades desses grupos extremistas, e eles deveriam parar com esse tipo de apoio[…]. Em 2016, os EUA prometeram que essas organizações terroristas deixariam este território […]. O lado norte-americano deve honrar suas promessas anteriores", disse Cavusoglu em resposta a um questionamento sobre o rumo do diálogo entre a Turquia e os Estados Unidos sobre o territórios povoados pelos curdos na cidade de Manbij, na Síria..

    Ele reiterou que tanto o YPG quanto o PKK eram considerados organizações terroristas por Ancara.

    "Extremistas do [YPG] controlam grandes partes — 25% — desses territórios [do Eufrates do leste], e eles mudaram a estrutura demográfica da região […]. Desconsiderando o fato de quem está no território sírio [YPG ou PKK], o controle deles sobre 25% da Síria é um grande risco. Essa organização terrorista também ameaça nossa segurança nacional — em Afrin, Manbij e outras fronteiras adjacentes", ressaltou Mevlut Cavusoglu.

    Em 20 de janeiro, a Turquia e as forças da oposição do Exército Livre da Síria lançaram a Operação Ramo de Oliveira no distrito sírio de Afrin. O objetivo da operação era de "limpar" a fronteira entre a Síria e a Turquia de membros de bases do YPG e do Partido da União Democrática (PYD), que a Turquia acredita manterem ligações com o PKK.

    No final de março, Ancara anunciou que o distrito estava sob total controle turco. O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, também chegou a afirmar que a operação não terminaria com a captura de Afrin, esclarecendo que as regiões de Manbij e Idlib seriam os próximos alvos. Damasco disse que vê a operação como uma violação da soberania síria.

    Mais:

    EUA e Turquia querem resolver conflito de interesses em cidade na Síria
    Especialista: Turquia terá 'espaço aéreo 100% fechado' se comprar sistemas russos Pantsir
    Rússia inicia produção dos sistemas S-400 para Turquia
    Secretário-geral da OTAN comenta compra dos sistemas russos S-400 pela Turquia
    Tags:
    Guerra da Síria, Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), Exército Livre da Síria, Unidades de Proteção Popular (YPG), Recep Tayyip Erdogan, Mevlut Cavusoglu, Manbij, Afrin, Síria, Estados Unidos, EUA, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik