16:21 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Lançamento de míssil balístico pelos houthis contra a Arábia Saudita (foto de arquivo)

    Defesa aérea saudita intercepta míssil dos rebeldes iemenitas

    © REUTERS / Houthi Military Media Unit
    Oriente Médio e África
    URL curta
    255

    A defesa antiaérea da Arábia Saudita interceptou um míssil lançado pelos rebeldes iemenitas em direção à cidade de Jizan, afirmou nesta sexta-feira (27) o canal estatal da TV saudita Al Ekhbariya.

    O ataque ocorreu vários dias após as forças houthis terem anunciado o assassinato de Saleh Sammad, chefe do Conselho Político Supremo do Iêmen e um dos líderes dos rebeldes, em um ataque aéreo das forças da coalizão saudita.

    As forças houthis controlam a capital iemenita, Sana, bem como o Norte do país e o principal porto da costa oeste do Iêmen, Hodeida.  

    A Arábia Saudita e vários outros países de sua coalizão iniciaram a campanha contra os houthis iemenitas em 2015, apoiando o presidente do país, Abd Rabbuh Mansur Hadi. Os rebeldes já haviam lançado vários mísseis balísticos contra a Arábia Saudita, contudo, até agora, seus ataques causaram só uma morte devido aos destroços de um míssil interceptado.

    Em 6 de novembro de 2017, a Arábia Saudita iniciou o bloqueio do Iêmen, acusando o Irã de fornecer mísseis balísticos aos houthis. Por sua vez, o Irã vem negando todas as acusações. O bloqueio interrompeu a entrega de ajuda humanitária. Além disso, as ações militares resultaram na destruição da infraestrutura do Iêmen e levaram à fome maciça entre a população do país, segundo a ONU.

    Segundo os dados da ONU, aproximadamente 10 mil iemenitas foram mortos e 53 mil ficaram feridos desde o início da operação da coalizão saudita contra o país. 

    Mais:

    Arábia Saudita já executou 48 pessoas em 2018, afirma ONG
    Explosões atingem capital da Arábia Saudita
    Arábia Saudita planeja transformar Qatar em uma ilha
    Tags:
    intercepção, míssil balístico, defesa aérea, Houthis, Iêmen, Arábia Saudita
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik