16:29 21 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Radicais sendo evacuados em ônibus da cidade de Douma, região de Ghouta Oriental, Síria

    Moscou: terroristas impedem acesso da OPAQ à cidade síria de Douma

    © REUTERS / Bassam Khabieh
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4116

    Os terroristas estão impedindo que os especialistas da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) inspecionem o lugar do suposto ataque químico na cidade síria de Douma, afirmou nesta quinta-feira (19) o vice-chanceler russo, Mikhail Bogdanov.

    Ontem, o diretor-geral da OPAQ disse, durante uma reunião na sede da organização, que a equipe de segurança da ONU foi forçada a recuar, adiando a chegada dos inspetores da OPAQ que deveriam visitar o lugar do suposto ataque.

    "Há rebeldes que aterrorizam os civis e inclusive impedem o trabalho dos representantes da comunidade internacional — da ONU e da OPAQ. Há quem não queira que seja realizada uma investigação objetiva e profissional", disse Bogdanov à Sputnik.

    Veículos da ONU na região síria de Ghouta Oriental (arquivo)
    © AFP 2018 / AMER ALMOHIBANY
    O vice-chanceler russo deu resposta afirmativa respondendo à pergunta se há uma ameaça à vida dos especialistas da OPAQ que devem chegar ao lugar do alegado ataque químico em Douma.

    "Como mostram os acontecimentos, [tal ameaça] existe, infelizmente", constatou.

    Mais cedo nesta semana, a delegação britânica na OPAQ declarou que a Rússia e a Síria ainda não concederam acesso à missão da organização em Douma. O vice-chanceler russo, Sergei Ryabkov, descartou as alegações, dizendo que foram os ataques aéreos dos EUA e aliados que impediram os esforços dos inspetores para examinar o lugar do ataque.

    No início de abril, países ocidentais acusaram o governo sírio de ter executado um ataque com bomba de cloro na cidade de Douma que supostamente matou até 70 pessoas, mas Damasco refutou as acusações.

    A Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) iniciou sua investigação sobre o suposto ataque químico na cidade síria, mas na véspera da sua chegada ao local os EUA, o Reino Unido e a França realizaram ataques contra a Síria em resposta à suposta utilização de substâncias químicas em Ghouta.

    Mais:

    Garoto filmado durante 'ataque químico' em Douma revela detalhes
    EUA acusam Síria de atrasar chegada de inspetores a locais suspeitos de ataques químicos
    Tags:
    investigação, ataque químico, OPAQ, Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Mikhail Bogdanov, EUA, Douma, Ghouta Oriental, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik