00:57 25 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Os soldados da Guarda Nacional dos EUA trabalhando nos computadores

    Chancelaria russa: EUA efetuaram ataque contra Síria violando suas próprias leis

    © AP Photo / Ted S. Warren
    Oriente Médio e África
    URL curta
    EUA e aliados efetuam ataque de mísseis contra Síria (90)
    15261

    Hoje (15), na sequência do recente ataque dos EUA e aliados contra o território sírio, o diretor do Departamento de Não Proliferação e Controle de Armas da chancelaria russa, Vladimir Ermakov, comunicou que a Rússia "tem capacidade de dar uma resposta adequada a qualquer tentativa de pressão militar" por parte de Washington.

    O diplomata especificou que os EUA, como uma das maiores potências nucleares, efetuou este ataque maciço de mísseis sem o aval da ONU, "violando a sua própria legislação" e "sob um pretexto completamente inventado".

    "Agora, em 2018, nós vemos que o o equilíbrio de forças no campo militar mudou radicalmente a favor da Rússia. Temos uma resposta adequada para qualquer tentativa dos EUA de nos pressionar", frisou.

    Além disso, o diplomata sublinhou que, hoje em dia, a corrida armamentista "virou uma realidade perigosa" por causa das ações dos países ocidentais.

    "A consciência de não poder prolongar o período do seu domínio unilateral nos assuntos internacionais provoca nervosismo e leva a tais ações irracionais como sanções, coerção pela força e uma postura pouco ética com outros países. Tudo isso suscita maior número de conflitos nas relações entre os governos. Neste sentido, a corrida armamentista, claro, não é um blefe, mas sim uma realidade bem perigosa que mina significativamente a estabilidade global e a segurança internacional", disse o alto funcionário.

    Ermakov assinalou que no mundo moderno "não há nenhuma chance" de elaborar um tratado internacional sobre a proibição completa dos testes com armas nucleares, adiantando que Moscou está disposta a iniciar um diálogo estratégico com Washington" em qualquer momento".

    "Nossa resposta é muito simples — quando vocês [os EUA] estiverem prontos para tal diálogo, concordaremos e participaremos dele em qualquer momento. Nunca boqueamos esta possibilidade para os norte-americanos", observou.

    Na madrugada de sábado (14), os EUA, o Reino Unido e a França realizaram ataques de mísseis contra estruturas governamentais na Síria que, em opinião da coalizão, eram usadas para produzir armas químicas. Foram lançados mais de 100 mísseis, a maior parte dos quais foi interceptada pelos sistemas de defesa antiaérea síria.

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, qualificou os lançamentos como um ato de agressão contra um país soberano, dado que nem os especialistas militares russos nem os residentes locais confirmaram o alegado ataque químico na cidade de Douma.

    Tema:
    EUA e aliados efetuam ataque de mísseis contra Síria (90)

    Mais:

    Presidente venezuelano classifica ataque contra Síria como 'ato criminoso'
    Parlamentar iraquiano: ataque contra Síria deve fortalecer Assad
    EUA estabelecem condições para retomar diálogo com Síria
    Tags:
    armas nucleares, ataque aéreo, ONU, Vladimir Putin, EUA, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik