14:33 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Dia após o ataque ao centro de pesquisa científica de Barzah, em Damasco, na Sìria. 14 de abril de 2018.

    Pentágono não tem confirmação de vítimas civis em ataque à Síria

    © Sputnik / Yazan Kalash
    Oriente Médio e África
    URL curta
    EUA e aliados efetuam ataque de mísseis contra Síria (90)
    1013

    Os Estados Unidos não estão cientes de quaisquer baixas civis durante os ataques aliados na Síria, disse o tenente-general norte-americano Kenneth McKenzie, diretor-chefe das Forças Armadas dos Estados Unidos.

    Na noite da sexta-feira (13), os Estados Unidos, o Reino Unido e a França dispararam mísseis contra a Síria em resposta ao ataque com armas químicas na cidade de Douma.

    "Nesse momento, não temos ciência de quaisquer baixas civis […]. Não temos relatos de quaisquer vítimas civis em qualquer um dos alvos que atingimos, e vamos continuar a observar isso de perto enquanto avançamos", disse McKenzie durante uma coletiva de imprensa.

    McKenzie notou que o fato de 40 mísseis terem sido lançados no ar, e que eles caíram em algum lugar subsequentemente, também deveria ser entendido como "parte da equação".

    Segundo o Pentágono, 105 mísseis foram disparados contra o território sírio, sendo que 76 destes foram direcionados a um centro de pesquisa em Damasco, supostamente relacionado à produção de armas químicas.

    Já informações do Estado-Maior da Rússia apontam que 71 foram interceptados pelas baterias antiaéreas sírias.

    Tema:
    EUA e aliados efetuam ataque de mísseis contra Síria (90)

    Mais:

    Embaixador russo na ONU: Síria foi alvo de um 'ato de agressão'
    Pentágono: EUA dispararam 105 mísseis contra a Síria; 76 em área de pesquisa de Damasco
    Ataque à Síria: Reino Unido agiu de acordo com a lei internacional, diz governo britânico
    'Ações devem ser tomadas': Erdogan apoia ataques dos EUA na Síria
    Bruxelas apoia ataques e anuncia encontro da União Europeia que discutirá a Síria
    Tags:
    Guerra da Síria, Pentágono, Kenneth McKenzie, França, Reino Unido, Rússia, Douma, Damasco, Síria, Estados Unidos, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik