16:38 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Primeira-ministra britânica, Theresa May (à esquerda), e Donald Trump, presidente dos Estados Unidos (à direita) durante um jantar de trabalho, parte de  um encontro da OTAN em Bruxelas.

    Ataque à Síria: Reino Unido agiu de acordo com a lei internacional, diz governo britânico

    © AP Photo / Thierry Charlier
    Oriente Médio e África
    URL curta
    EUA e aliados efetuam ataque de mísseis contra Síria (90)
    12015

    A decisão do Reino Unido de realizar os ataques da sexta-feira (13) contra a Síria levou em conta a lei internacional, segundo afirmou o gabinete da primeira-ministra britânica, Theresa May, em um comunicado divulgado neste sábado (14).

    Na noite da sexta-feira (13), o Reino Unido, juntamente com a França e os Estados Unidos, lançou ataques contra vários alvos na Síria em resposta ao suposto incidente químico no subúrbio de Douma em Damasco. De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia, os três países dispararam mais de 100 mísseis de cruzeiros também ar-terra.

    "O Reino Unido tem permissão, sob a lei internacional, a título excepcional, para tomar medidas a fim de aliviar o enorme sofrimento humanitário", disse o comunicado.

    A declaração diz que, dentro da estrutura do direito internacional, o Reino Unido tem o direito de usar a força dependendo de três condições, a saber, provas convincentes de um problema humanitário de larga escala, a ausência de uma alternativa ao uso da força para resgatar pessoas e o uso da força ser aplicado de forma proporcional e necessária.

    Segundo a declaração do gabinete de May,  todas as condições foram cumpridas.

    Tema:
    EUA e aliados efetuam ataque de mísseis contra Síria (90)

    Mais:

    Bruxelas apoia ataques e anuncia encontro da União Europeia que discutirá a Síria
    França divulga VÍDEO de seu ataque contra Síria
    Pentágono: ataque significa mudança de política dos EUA com a Síria
    'Disfarce humanitário': ataque dos EUA à Síria pretende dar chance aos terroristas
    'Reduzir o perigo': EUA contataram a Rússia antes do ataque à Síria, diz embaixador
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik