05:23 20 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Sistemas de mísseis S-400 Triumph do regimento de defesa antiaérea na cidade russa de Teodósia, na Crimeia

    Saiba como a Rússia pode repelir um ataque dos EUA contra a Síria (FOTOS)

    © Sputnik / Sergei Malgavko
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Trump ameaça atacar a Síria (34)
    28728

    Com os Estados Unidos e a Rússia envolvidos em uma discussão pública sobre as consequências de um possível ataque norte-americano contra a Síria, as capacidades que Moscou tem para responder a ele são uma questão importante.

    Washington ameaçou uma ação militar contra o governo sírio em resposta a um suposto ataque de armas químicas em Douma, que aconteceu exatamente um ano depois da primeira agressão americana contra a Síria.

    Em abril de 2017, o presidente estadunidense Donald Trump estava aparentemente satisfeito com um ataque aéreo contra uma base aérea síria, lançando mão de dezenas de mísseis Tomahawk.

    A situação atual parece muito mais tensa, com a Rússia ameaçando abertamente se opor diretamente a um ataque americano ao solo sírio. A determinação da Rússia pode ser questionada, considerando seu histórico de não se opor aos ataques israelenses na Síria, mas sua capacidade de resistir ao ataque não está em disputa.

    Os sistemas de mísseis S-400
    © Sputnik / Anton Denisov
    Os sistemas de mísseis S-400

    As tropas russas têm dois locais primários na Síria: a base aérea de Khmeimim, perto da cidade portuária de Latakia, no norte; e a instalação naval de Tartus, na parte norte da costa síria. Ambos os locais são cobertos por mísseis terra-ar de longo alcance, incluindo os sistemas S-400 implantados perto de Khmeimim e os S-300VM que defendem Tartus.

    Ambos os sistemas de defesa têm um alcance reportado de até 400 quilômetros, dependendo do míssil usado, e são considerados entre os melhores sistemas antimísseis de longo alcance do mundo atualmente em serviço.

    Sistema Buk-M2 durante a inauguração solene do salão aeroespacial internacional MAKS 2017
    © Sputnik / Ramil Sitdikov
    Sistema Buk-M2 durante a inauguração solene do salão aeroespacial internacional MAKS 2017

     

    Complementando esses interceptadores estão os sistemas de alcance mais curto, incluindo o Buk-M2 de médio alcance e o Pantsir S1 de curto alcance. Os sistemas destinam-se a projetar camadas sobre camadas de cobertura de negação de acesso / área, defendendo um local estratégico de qualquer ameaça, de pequenos drones armados e aeronaves de baixa altitude a mísseis balísticos táticos.

    Avião-radar russo A-50
    © Sputnik / Ivan Rudnev
    Avião-radar russo A-50

     

    O suposto ponto fraco dos sistemas de defesa aérea russa de longo alcance é a precisão de alvos, o que requer cobertura adicional de radar. Na Síria, é improvável que seja um problema, no entanto, considerando o uso russo de sua contraparte ao AWACS, o radar A-50 aerotransportado, e relata que suas defesas aéreas foram integradas com os recursos soviéticos mais antigos usados pelas tropas sírias.

    Os EUA podem tentar sobrecarregar os sistemas russos com uma barragem de mísseis, mas a eficiência do ataque ainda será significativamente reduzida.

    Em um cenário de ataque de mísseis limitado, os militares russos podem cumprir a ameaça que fizeram e retaliar contra a origem dos mísseis — os destróieres de mísseis guiados dos EUA e possivelmente os submarinos de ataque atualmente instalados no Mediterrâneo.

    Atacá-los com força letal seria uma grande escalada no conflito, mas os militares russos podem usar uma resposta limitada — usando equipamentos de guerra eletrônica para assediar os navios americanos, atrapalhando sua aquisição de alvos, geolocalização ou até mesmo sistemas anti-aéreos AEGIS.

    A extensão do dano que isso pode causar é discutível, mas certamente tornaria o trabalho de destruir quaisquer alvos que o comando dos EUA tenha em mente na Síria muito mais difícil.

    Tema:
    Trump ameaça atacar a Síria (34)

    Mais:

    Ocidente não dá ouvidos à informações dos militares russos sobre situação na Síria
    Merkel: Alemanha não participará das possíveis ações militares contra Síria
    Submarinos, radares e aviões: Rússia se prepara para possível ataque estadunidense à Síria
    Tags:
    AEGIS, Buk-M2, S-300VM, s-400, tomahawk, defesa, ataque aéreo, segurança, Donald Trump, Douma, Estados Unidos, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik