15:43 26 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Civil anda de bicicleta ao lado de cemitério em Douma, ocupada por rebeldes, nos arredores de Damasco, Síria, 3 de janeiro de 2017

    Macron: França tem provas que governo sírio usou armas químicas

    © REUTERS / Bassam Khabieh
    Oriente Médio e África
    URL curta
    15423

    O presidente francês Emmanuel Macron declarou que a França tem provas que o governo sírio usou armas químicas na cidade de Douma na semana passada.

    "Temos provas que na semana passada foram utilizadas armas químicas. E foram utilizadas pelo regime de [Bashar] Assad", declarou o líder francês em entrevista ao canal TF1.

    Segundo Macron, a França tomará decisão sobre a Síria após verificar as informações sobre o suposto ataque químico.

    "Precisaremos de tomar decisões em devido tempo, quando o julgarmos mais útil e eficiente", acrescentou Macron.

    Mais cedo, Paris e Washington apelaram a que se dê "uma resposta dura e conjunta" ao suposto ataque químico na cidade síria de Douma, pelo qual o Ocidente culpa o governo sírio.

    Conforme a Constituição, o presidente francês tem o direito de lançar operações militares sem aprovação do parlamento. Na quarta-feira (11), Le Figaro comunicou que, caso a França decida atacar, isso será feiro a partir do território francês e não de bases no Oriente Médio.

    O presidente norte-americano, Donald Trump, por sua vez, recuou nesta quinta-feira (12) das suas afirmações provocatórias no Twitter avisando a Rússia que se prepare para ataques na Síria e fez uma nova postagem dizendo que um tal ataque ao país árabe "pode acontecer muito em breve ou nada em breve".

    Mais:

    Submarinos, radares e aviões: Rússia se prepara para possível ataque estadunidense à Síria
    Conselho de Segurança da ONU deve convocar reunião sobre ameaça dos EUA à Síria
    Tags:
    acusações, ataque químico, Emmanuel Macron, Donald Trump, Bashar Assad, Douma, Síria, EUA, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik