12:25 26 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Avião Su-22 da Força Aérea síria na base de Homs (foto de arquivo)

    Após suposto ataque químico, base aérea síria é atingida por mísseis

    © Sputnik / Ilia Pitalev
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Ataque à base aérea síria (17)
    23725

    A base aérea T-4 localizada na província síria de Homs foi atingida por um ataque com mísseis, informou a mídia local apontando suspeitas de envolvimento dos Estados Unidos. No entanto, o Pentágono negou essa possibilidade. Vítimas foram confirmadas.

    A base teria sido atingida por mísseis, segundo a agência de notícias SANA. A agência também informa que houve vítimas, mas não dá mais detalhes.

    Também há informações dizendo que a Força de Defesa Aérea da Síria teria interceptado diversos outros mísseis, segundo uma fonte ouvida pela Sputnik.

    "A Força de Defesa Aérea da Síria destruiu alguns mísseis que atacaram a base aérea T-4. Os mísseis caíram na região do espaço aéreo", afirmou.

    Um vídeo não confirmado circula nas redes sociais e mostra jatos não identificados voando supostamente sobre o Líbano em direção à Síria.

    ​Não houve confirmação imediata sobre a origem dos objetos ou se eram aviões ou mísseis. Também não está claro quem está por trás do ataque. Segundo a agência de notícias SANA, da Síria, o ataque pode ter sido realizado pelos Estados Unidos.

    No entanto, um representante do Pentágono disse à Sputnik que o Departamento de Defesa dos EUA está ciente do suposto ataque com mísseis dos EUA, mas não confirmou envolvimento.

    "Nós estamos cientes dos relatos, mas não temos nada a confirmar", disse o representante do Pentágono.

    Por sua vez, a emissora libanesa Al Mayadeen informou que os mísseis vinham do Mar Mediterrâneo através do Líbano.

    Tema:
    Ataque à base aérea síria (17)

    Mais:

    EUA exigem acesso ao local de suposto ataque químico na Síria
    Moscou: acusações de ataques químicos na Síria visam justificar intervenção militar
    Tags:
    Guerra da Síria, SANA, Al Mayadeen, Pentágono, Estados Unidos, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik