01:23 21 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Navio-petroleiro no golfo Pérsico (imagem referencial)

    Houthis põem na mira navio-petroleiro saudita no mar Vermelho

    © AP Photo/ Hasan Jamali
    Oriente Médio e África
    URL curta
    172

    De acordo com a emissora Al-Arabiya, citando a coalizão liderada pela Arábia Saudita, um navio-petroleiro foi um pouco danificado pelo ataque e continuou a sua viagem.

    O navio-petroleiro foi atingido perto da cidade porteira iemenita de Hodeidah, informa a Al-Arabiya.

    No entanto, segundo informa a agência de notícias Reuters, o movimento dos houthis iemenitas declarou que eles puseram na mira um navio de guerra saudita e não um petroleiro como represália ao ataque aéreo na província iemenita de Hodeidah, que aconteceu na segunda-feira (2).

    Rebeldes houthis efetuam regularmente ataques no território da Arábia Saudita, lançando até mesmo mísseis. Recentemente, a organização Human Rights Watch classificou as ações hostis como violação das regras de guerra internacionalmente reconhecidas.

    Os ataques estão ligados à guerra civil no Iêmen que tem sido afetado há vários anos. Trata-se do conflito entre o governo liderado pelo presidente do Iêmen, Abd Rabbuh Mansur Hadi, e o movimento dos houthis no norte do país também conhecido como Ansar Allah.

    Desde março de 2015, a coalizão liderada pela Arábia Saudita, que consiste na maioria de países do golfo Pérsico, tem efetuado ataques aéreos contra os houthis a pedido de Hadi.

    Isso levou a consequências graves na região: milhões de iemenitas precisam de ajuda humanitária imediata, de acordo com a ONU. O ministro iemenita para Direitos Humanos declarou em 25 de março que a guerra liderada pela Arábia Saudita provocou mortes ou ferimentos de 600.000 civis durante os últimos três anos.

    Mais:

    Houthis lançam míssil contra Guarda Nacional saudita
    Rússia é a única esperança de paz no Iêmen?
    Arábia Saudita intercepta mísseis disparados do Iêmen sobre Riad (VÍDEOS)
    Tags:
    guerra, míssil, lançamento, houthis, rebeldes, Iêmen, Arábia Saudita
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik