15:58 26 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Refugiada síria segurando bebê de dois meses como refugiados e migrantes que partiram do campo de detenção de Chios, e acamparam no porto da cidade, organizando um protesto com seus filhos cantando 'No Turkey', em 3 de abril de 2016

    Bebê afegão batizado com nome de Donald Trump 'arruína' vida de seus pais

    © AFP 2018 / Louisa Gouliamaki
    Oriente Médio e África
    URL curta
    552

    Não só o nascimento de uma criança pode mudar a vida de seus pais, mas o nome escolhido para seu filho. Donald Trump, que agora tem 18 meses de idade, é o terceiro filho dos afegãos Jamila e Sayed Assadullah.

    Trata-se de um bom exemplo de como a escolha de um simples nome pode afetar os acontecimentos futuros da vida da criança e até mesmo dos familiares.

    Por causa deste infortúnio, a família teve que deixar sua província de origem e se estabelecer em Cabul para evitar problemas, mas continuam sendo ameaçados de interrogatórios pelos serviços especiais.

    Presidente russo Vladimir Putin durante a coletiva de imprensa conjunta com o presidente da Moldávia, Igor Dodon, Kremlin, Moscou, Rússia, 17 de janeiro de 2017
    © Sputnik / Aleksei Druzhinin
    O bebê nasceu em setembro de 2016, quando o então magnata septuagenário e candidato republicano, Donald Trump, estava no final de sua campanha presidencial. Em entrevista, o pai revelou que havia lido alguns textos do americano e estava acompanhando situação pela televisão, quando lhe surgiu a ideia de dar esse nome ao recém-nascido.

    Sayed esperava que a sorte do empresário e estrela de televisão "passasse" a seu filho. Mas o efeito, infelizmente, foi exatamente contrário ao esperado, admitiu o pai.

    'Sem cultura'

    Primeiramente, a decisão de lhe dar um nome não muçulmano indignou os mais próximos dele em sua aldeia, localizada na província do Daikondi, na região central do Afeganistão. "Quando eu nomeei meu filho de Donald Trump, eles não ficaram felizes", lembrou. Perguntaram-lhe: "Como você pode escolher o nome de um infiel para seu filho?"

    Presidente russo, Vladimir Putin, realizou uma reunião do Conselho para Desenvolvimento da Sociedade Civil e Direitos Humanos, em 8 de dezembro de 2016 (foto de arquivo)
    © Sputnik / Aleksei Nikolsky
    Como resultado, a jovem família teve que se mudar para Cabul, a capital nacional, e alugar uma casa na região.

    No entanto, quando Sayed foi ao escritório do governo responsável para verificar os documentos emitidos em outras províncias, ele foi "tratado sem respeito" e ameaçado de ser enviado à agência de inteligência afegã para interrogatório. Para completar, eles o chamaram de "sem cultura" pelo fato de dar esse nome ao filho.

    Diante das críticas de que os pais queriam atrair a atenção da sociedade, nomeando a criança de forma tão controversa, Sayed disse que não pretendia que a identidade do bebê se tornasse pública.

    Outro caso semelhante, porém com final feliz, foi o do bebê sírio que recebeu o nome do atual presidente da Rússia, Vladimir Putin. A família, que mora na Síria em uma cidade perto de Damasco, disse que a escolha do nome foi uma forma de agradecimento pela ajuda de amigos russos durante a guerra civil que o país enfrenta.

    Enquanto que na região da cidade russa de Vladimir, uma jovem família alterou o nome do seu filho de dois anos, Rasul, para Putin Dzhuraev, em honra do líder russo, dizendo que a criança terá um futuro brilhante, até podendo se tornar presidente ou um grande político.

    Mais:

    Russa dá à luz no mar Vermelho e sai como se nada tivesse acontecido (FOTOS)
    No Uzbequistão bebê viveu mais de um mês com 16 agulhas no corpo
    Homem joga ácido em sua mulher por ela dar à luz menina em vez de menino (FOTO)
    Tags:
    afegão, nome, bebê, Donald Trump, Vladimir Putin, Cabul, Afeganistão, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik