17:58 21 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Fumaça após um alegado ataque aéreo nos bairros controlados por rebeldes no Leste de Damasco, na Síria

    Moscou está preocupada com ameaças de uso da força contra Damasco

    © AFP 2018 / Amer Almohibany
    Oriente Médio e África
    URL curta
    482

    A Rússia está seriamente preocupada com ameaças de uso da força contra damasco, afirmou o vice-chanceler da Rússia, Sergei Ryabkov.

    Segundo Ryzbkov, informações sobre possível uso de força contra o governo sírio contradizem completamente à resolução 2401 do Conselho de Segurança da ONU.

    "Estamos extremamente alarmados com os relatórios que em meio à crescente retórica contra Damasco e antirrussa em Washington, surgem outra vez novas ameaças de uso ilegal da força, buscando pretextos para isso", afirmou o vice-chanceler.

    O apelo mais importante da resolução 2401 é que todas as partes envolvidas no conflito sírio busquem intensivamente resoluções para a situação, sublinha Ryabkov.

    Por essa razão, é necessário que todos os que têm expressado preocupações com a situação humanitária na Síria sigam plenamente e "sem exceções" as decisões elaboradas pelo Conselho de Segurança da ONU, acrescentou o diplomata russo.

    "Outra atitude por parte dos EUA e seus aliados significará violação dos requerimentos da resolução da ONU", disse Ryabkov.

    No sábado (24), o Conselho de Segurança da ONU aprovou por unanimidade a resolução 2401 que exorta todas as partes no conflito a interromper imediatamente todos os confrontos e aderir a uma pausa humanitária de longo prazo em todo o território da Síria, a fim de garantir o abastecimento seguro e sem dificuldades de ajuda humanitária como bem como a evacuação médica dos feridos.

    De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia, o regime de cessar-fogo na Síria tem sido constantemente violado nas províncias de Aleppo, Latakia e idlib.

    O Ministério da Defesa russo também ressaltou que os militantes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia) continuam detendo centenas de reféns, incluindo mulheres e crianças. Além disso, segundo o ministério, os grupos armados não deixam os civis sair do território de Ghouta Oriental.

    Mais:

    Terroristas preparam ataque com armas químicas para incriminar Assad, diz Moscou
    Militantes lançam morteiros em corredor humanitário entre Damasco e Ghouta Oriental
    Tags:
    resolução pacífica, conflito regional, Conselho de Segurança da ONU, Sergei Ryabkov, EUA, Rússia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik