05:41 18 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Fumaça em Ghouta Oriental (foto de arquivo)

    Moscou: países que apoiam terrorismo são responsáveis pela situação em Ghouta Oriental

    © REUTERS / Bassam Khabieh
    Oriente Médio e África
    URL curta
    14181

    Em 21 de fevereiro, a ONU afirmou ter recebido relatórios que mais de 100 pessoas foram mortas em ataques contra a cidade síria Ghouta Oriental durante três dias.

    "Os responsáveis pela situação em Ghouta Oriental são aqueles que apoiam terroristas que ainda estão na área. Sabe-se que nem a Rússia, nem a Síria e nem o Irã pertencem à categoria de tais países, já que são eles que […] estão lutando contra terroristas na Síria", afirmou Dmitry Peskov, porta-voz do presidente da Rússia.

    Assim, o funcionário de alto escalão comentou as declarações sobre a responsabilidade de Moscou e Teerã pela situação na cidade síria.

    Quanto às questões sobre a adesão da Rússia ao projeto da resolução da ONU sobre a introdução do regime cessar-fogo na Síria, Peskov assinalou que elas devem ser abordadas pelo Ministério das Relações Exteriores do país.

    "No momento, não posso responder a esta pergunta, uma vez que estes assuntos estão envolvidos no nosso departamento diplomático, e na nossa missão em Nova York, contudo, é melhor fazer esta pergunta ao Ministério das Relações Exteriores", afirmou.

    Anteriormente, as delegações da Suécia e Kuwait apresentaram ao Conselho da Segurança da ONU o projeto da resolução sobre a introdução do regime cessar-fogo na Síria por 30 dias para fornecer ajuda humanitária e evacuação médica. Espera-se que nesta quinta-feira (22), seja realizada a votação sobre o projeto proposto.

    Acusações contra Rússia

    O comentário do representante do Kremlin segue após a declaração de Heather Nauert, porta-voz do Departamento do Estado dos EUA, que acusou a Força Aérea de Damasco de alegados ataques em Ghouta Oriental, tendo como alvo hospitais, causando a morte de 100 civis nas últimas 48 horas.

    Departamento do Estado dos EUA também alertou a Rússia de parar com o apoio prestado ao presidente sírio Bashar Assad, em relação ao "aumento de violência em Ghouta Oriental".

    Mais:

    Moscou apela para que todos os jogadores externos na Síria iniciem diálogo com Damasco
    Centro Russo para a Reconciliação Síria é atacado por rebeldes
    Tags:
    morte, resolução, cessar-fogo, ataque, ONU, Ghouta Oriental, Irã, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar