20:28 22 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Mulheres combatentes curdas das forças peshmerga

    Curdos iraquianos podem ter realizado 'execuções em massa', denuncia HRW

    © Sputnik / Hikmet Durgun
    Oriente Médio e África
    URL curta
    723

    A organização não-governamental Human Rights Watch (HRW) acusou nesta sexta-feira as forças de segurança curdas iraquianas de realizar execuções em massa de detidos que supostamente seria membros do grupo jihadista Daesh.

    O entidade disse que os soldados curdos peshmerga detiveram iraquianos e estrangeiros em uma escola no Sahel al-Maliha, a 70 quilômetros a noroeste da segunda cidade de Mossul, da qual o Daesh foi expulso em julho.

    "A evidência sugere que as forças de segurança de Asayish (curdas) realizaram execuções em massa de suspeitos [de ligação com o Daesh] capturados noite após noite por uma semana, talvez matando alguns ou mesmo centenas de detidos masculinos", disse Lama Fakih, vice-diretora da HRW para o Oriente Médio.

    "As autoridades iraquianas e o KRG (governo regional curdo) devem investigar de forma urgente e transparente as alegações de execuções em massa e responsabilizar os responsáveis", disse ela em comunicado.

    As execuções alegadamente ocorreram entre 28 de agosto e 3 de setembro do ano passado.

    Questionado sobre o relatório da HRW, o funcionário do governo curdo iraquiano, Dindar Zebari, negou as acusações. Ele disse que, de acordo com o chefe de Asayish, os peshmerga estavam lutando contra o Daesh em uma linha de frente de 71 quilômetros enquanto os jihadistas tentavam fugir para a Síria.

    Durante os confrontos, muitos combatentes do Daesh e do peshmerga morreram, e "os cadáveres dos membros do Daesh mortos nesta luta provavelmente foram trazidos para um lugar para serem enterrados", disse ele.

    A linha de frente está localizada a cerca de 40 quilômetros do local onde os corpos foram encontrados, disse a HRW, lançando dúvidas sobre sua conta.

    "Esta explicação não coincide com o estado em que os corpos foram encontrados, com tiros na cabeça" e enterrados em uma área de deserto solitária, longe de onde alguma luta ocorreu", disse a organização.

    Mais:

    Ofensiva contra curdos: 'vamos limpar a fronteira' com a Síria, diz Erdogan
    Exército turco elimina 400 curdos e militantes do Daesh em Afrin
    Curdos sírios pedem proteção de Assad e Erdogan fala em devolver Afrin aos seus 'donos'
    Tags:
    guerra, direitos humanos, execuções extrajudiciais, execuções, Peshmerga, Daesh, Dindar Zebari, Lama Fakih, Iraque, Curdistão iraquiano
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar