03:25 22 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Consequências do ataque aéreo da coalizão internacional

    Ataques da coalizão internacional matam 100 militares das tropas governamentais sírias

    © AP Photo / Osama Sami
    Oriente Médio e África
    URL curta
    57767

    Aproximadamente uma centena de militares das forças governamentais sírias morreu durante ataques aéreos realizados pela coalização internacional liderada pelos EUA.

    A informação foi divulgada pelo canal de televisão ABC que cita uma fonte local.

    Na noite de 7 para 8 de fevereiro, as forças pró-governo sírias iniciaram um "ataque não provocado" contra o Estado-Maior General das Forças Democráticas da Síria (SDF). De acordo com o comunicado, a coalizão efetuou ataques "para repelir atos de agressão em relação aos parceiros que estão lutando contra os terroristas do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia]".

    Segundo comunicou um funcionário estadunidense que preferiu não se identificar, os ataques aéreos e de artilharia foram dedicados para repelir a ofensiva. Em suas palavras, o ataque contra o Estado-Maior da SDF, localizado ao norte do rio Eufrates, foi bem organizado. Além da artilharia, a coalizão também usou tanques T-54 e T-72.

    Ademais, o funcionário reportou que a coalizão usou linhas telefônicas diretas para informar os militares russos sobre ataques aéreos na área.

    Mais:

    Ataque aéreo da coalizão liderada pelos EUA mata 15 civis na Síria
    Coalizão dos EUA matou até 6.000 civis no Iraque e na Síria em 2017
    Chancelaria russa: situação em Afrin síria é provocada, entre outras, pelas ações dos EUA
    Chanceler russo: parece que EUA tomaram rumo à divisão da Síria
    Ministério da Defesa russo: Frente al-Nusra é o principal desestabilizador na Síria
    Tags:
    mortos, militares, ataques aéreos, artilharia, Forças Democráticas Sírias (SDF), coalizão internacional, Estado-Maior, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik