11:52 19 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados da oposição síria em frente a tropas turcas perto da fronteira síria na província de Hatay

    Erdogan: militares turcos deixarão Síria assim que atingirem meta em Afrin

    © AFP 2018/ BULENT KILIC
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Turquia lança ofensiva contra Afrin (65)
    4100

    O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, criticou a declaração do Departamento de Estado dos EUA sobre limitação de Ancara na operação em Afrin síria quanto à sua escala e prazos.

    "Os EUA pedem para que limitemos os prazos. Eu pergunto: no Afeganistão e no Iraque, seus prazos acabaram? Vocês ainda estão lá. Isso não se calcula matematicamente. Assim que o nosso trabalho acabe, assim que as metas forem atingidas – a operação vai acabar, e vamos embora. Não precisamos de terras alheias", discursou Erdogan em Ancara.

    Ele adicionou que a Turquia está lutando não contra os curdos, mas contra a criação do corredor terrorista.

    "Continuam nos provocando há anos no norte da Síria. Hoje, mais uma vez, temos vítimas por causa de bombardeamentos de mísseis em Hatay. Isso não ficará sem resposta, e eles vão pagar preço alto, estamos determinados. Nem um passo para trás em Afrin. O assunto foi discutido com nossos amigos russos e com outas forças da coalizão", declarou Erdogan.

    Antes, o Estado-Maior da Turquia declarou início da operação Ramo de Oliveira contra as formações curdas na cidade síria de Afrin.

    A operação começou no sábado às 17h (às 12h no horário de Brasília), e no domingo, o premiê turco, Binali Yildirim, anunciou o início da operação terrestre em Afrin.

    Tema:
    Turquia lança ofensiva contra Afrin (65)

    Mais:

    EUA pedem que Turquia tenha moderação e cuidado com civis sírios em Afrin
    Síria: 9 pessoas foram mortas pela Turquia em Afrin, diz fonte
    Chanceler russo: EUA estimulam ânimos separatistas entre curdos sírios
    Tags:
    operação, conflito, terrorismo, luta, Recep Tayyip Erdogan, Turquia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik