20:18 18 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Syrians walk through the Ruqban refugee camp in Jordan's northeast border with Syria (File)

    Forças armadas russas e autoridades sírias discutem a criação de abrigos a refugiados

    © AP Photo / Abu Adel
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 70

    O Centro para a Reconciliação na Síria russo do Ministério da Defesa, em conjunto com as autoridades sírias, está trabalhando na criação de abrigos temporários para refugiados nos subúrbios de Aleppo, disse o representante da instituição, major-general Yury Yevtushenko.

    "O Centro para a Reconciliação na Síria russo, junto com as autoridades locais, está trabalhando na implantação da área de habitação temporária para os refugiados nos subúrbios de Aleppo, e na entrega de ajuda humanitária e necessidades básicas para as pessoas de lá", disse Yevtushenko em um briefing.

    De acordo com Yevtushenko, cerca de 20 toneladas de alimentos, água potável e necessidades básicas devem ser entregues em um futuro próximo de Aleppo para Tall Rifat.

    "O Centro entregou alimentos e material escolar aos assentamentos de Mazraat Beit Jinn, Beit Jinn, província de Damasco, que foi libertada recentemente de terroristas. Os cidadãos de Qum al-Wisia, província de Al-Quneitra, receberam 2 toneladas de alimentos ", disse Yevtushenko, acrescentando que 94 sírios receberam ajuda médica nas últimas 24 horas.

    Ele acrescentou que 304 sírios retornaram para suas casas nas províncias de Deir ez-Zor, Hama, Homs e Aleppo nas últimas 24 horas.

    A Rússia está ativamente envolvida na solução do conflito sírio, tendo se envolvido em uma operação militar contra organizações terroristas, servindo como mediador nas negociações de reconciliação de Astana e garante do cessar-fogo sírio e fornecendo ajuda civil a civis.

    Tags:
    Centro para a Reconciliação na Síria russo, Yury Yevtushenko, Qum al-Wisia, Mazraat Beit Jinn, Tall Rifa, Beit Jinn, Astana, Deir ez-Zor, Homs, Aleppo, Damasco, Hama
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik