09:27 18 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Forças turcas mantêm a segurança no posto fronteiriço de Cilvegozu, na fronteira com a Síria (foto de arquivo)

    Turquia: 'exército terrorista' formado na fronteira com Síria prejudicará relações com EUA

    © AP Photo / Emrah Gurel
    Oriente Médio e África
    URL curta
    481

    O ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, comentou as relações entre a Turquia e os Estados Unidos em meio ao escândalo em torno do apoio norte-americano às forças curdas.

    O chanceler turco explicou que, apesar de Ancara esperar ver certos passos por parte dos EUA, Washington não conseguiu cumprir as promessas quanto à retirada das tropas das Unidades de Proteção Popular (YPG) de Manbij e à operação em Raqqa, aumentando assim a desconfiança da Turquia em relação ao país.

    A afirmação foi feita apesar de esta quarta-feira (17) o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, ter assegurado que o apoio dos EUA às forças YPG tinha sido "interpretado de modo errado".

    Segundo Cavusoglu, a Turquia vai intervir nas cidades sírias de Afrin e Manbij devido à ameaça que os militantes curdos representam.

    O ministro afirmou também que o avanço das forças governamentais sírias em Idlib deve ser parado.

    O diplomata declarou que a Turquia coordena a sua operação em Afrin com a Rússia e o Irã, países garantes do regime de cessar-fogo na Síria.

    O discurso vem na véspera do encontro entre o chefe do Estado-Maior turco Hulusi Akar, o chefe da inteligência do país, Hakan Fidan, com o chefe do Estado-Maior russo, Valery Gerasimov, previsto para hoje (18). As partes discutirão, entre outros, os problemas da segurança regional e a situação na Síria, segundo um comunicado do Estado-Maior da Rússia.

    As palavras de Cavusoglu repetem sua afirmação de 17 de janeiro, segundo a qual as cidades de Manbij e Raqqa após serem libertadas do grupo terrorista Daesh passaram a ser controladas pelo Partido de União Democrática (PYD) curdo em vez de o serem por conselhos locais. 

    Como explicou o chanceler turco, mesmo que os EUA não tenham declarado o PYD seu parceiro estratégico no combate ao terrorismo, tudo isso dá razões para Ancara duvidar das ações de Washington na região.

    Os EUA planejam criar uma "força de segurança" nas fronteiras norte da Síria, a chamada Força de Segurança de Fronteira (BSF), nos territórios controlados pela milícia das Forças Democráticas Sírias. Ancara condenou a iniciativa, afirmando que "não permitirá que um corredor terrorista seja criado perto de suas fronteiras, nem um exército terrorista".

    Tags:
    curdos, militantes, conflito regional, Unidades de Proteção Popular (YPG), Ministério das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, Manbij, Afrin, Síria, EUA, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik