17:10 19 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    O mapa de Qatar

    Ministro do Qatar diz que uma mulher deu início à crise no Golfo (VÍDEO)

    © REUTERS / Thomas White
    Oriente Médio e África
    URL curta
    3213

    O ministro de Relações Exteriores do Qatar fez uma afirmação surpreendente de que a crise diplomática no Golfo foi provocada por uma disputa sobre uma mulher e a renovação do seu passaporte.

    Falando à televisão nacional do Qatar, Mohammed bin Abdul Rahman al-Thani disse que a recusa do país em extraditar a esposa de uma figura da oposição ao governo dos Emirados Árabes Unidos levou o vizinho a assumir uma posição agressiva contra Doha, lançando ataques na mídia.

    A mulher e seu marido se mudaram para o Qatar depois de deixar os Emirados Árabes Unidos em 2013. O marido posteriormente se mudou para o Reino Unido, mas a mulher ficou no Qatar por causa dos laços familiares. Quando ela tentou renovar seu passaporte, a embaixada dos Emirados Árabes Unidos recusou o seu pedido e exigiu a sua extradição.

    O ministro Al Thani disse que o príncipe herdeiro de Abu Dhabi, xeque Mohammed bin Zayed, mandou representantes seus para falar com o emir do Qatar, o xeque Tamim bin Hamad Al Thani, para exigir a extradição da mulher, mas o emir recusou o pedido.

    "O príncipe Tamim recusou-se a extraditar a mulher porque não era procurada por algum delito, e isso seria contrário ao direito internacional e à Constituição de Qatar", afirmou o ministro de Relações Exteriores.

    Há mais de seis meses, os vizinhos de Qatar, incluindo os Emirados Árabes Unidos, a Arábia Saudita, o Bahrein e o Egito, cortaram as relações diplomáticas com o Estado do Golfo e o bloquearam por terra, mar e ar.

    Dois meses antes da crise diplomática explodir, os Emirados Árabes Unidos intensificaram os ataques de mídia ao vizinho e, quando o Qatar procurou uma explicação para os ataques, recebeu a informação de que eles parariam, desde que a mulher fosse extraditada. No entanto, Doha novamente se recusou a entregar a mulher.

    O ministro explicou que os Emirados Árabes Unidos então informaram a Arábia Saudita sobre o impasse. Em um encontro subsequente com o emir, o então Príncipe Herdeiro da Arábia Saudita, Muhammad bin Nayef, que perdeu todas as suas posições, disse ao líder do Qatar que não haveria disputa se a mulher fosse entregue aos Emirados Árabes Unidos.

    Isolado, o Qatar vem contando com o apoio de Irã e Turquia, enquanto a comunidade internacional acompanha o desenrolar da crise, que parece longe de um fim.

    Mais:

    Bahrein pede congelamento da adesão do Qatar ao Conselho de Cooperação do Golfo
    Tillerson critica 'falta de interesse' saudita para pôr fim ao impasse com o Qatar
    EUA preveem uma 'solução rápida' para crise entre Qatar e países do Golfo Pérsico
    Tags:
    passaporte, conflito, sanções, diplomacia, Muhammad bin Nayef, Tamim bin Hamad bin Khalifa Al Thani, Mohammed bin Zayed, Mohammed bin Abdul Rahman al-Thani, Golfo Pérsico, Bahrein, Egito, Arábia Saudita, Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos, Doha, Qatar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik