13:27 22 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Сentrífugas de gás para enriquecimento de urânio

    Irã pode acelerar o enriquecimento de urânio se Trump voltar a impor sanções

    © Sputnik / A. Solomonov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    10120

    O Irã tem a capacidade de aumentar seu enriquecimento de urânio, disse a agência de energia atômica do país, observando que Teerã realizará as "ações necessárias" se os EUA voltarem a impor sanções sobre as exportações de petróleo do país.

    "Se a suspensão [de sanções] não for continuada, é uma violação do [acordo nuclear do Irã] e a República Islâmica do Irã, obviamente, tomará as ações necessárias", declarou o porta-voz da organização atômica iraniana, Behrouz Kamalvandi, à TV estatal, como citado pela Agência Reuters.

    Kamalvandi se recusou a elaborar o que essas "ações necessárias" poderiam ser, mas disse mais tarde na mesma entrevista que "a capacidade existe dentro da agência de energia atômica para acelerar o trabalho nuclear em vários campos, particularmente no campo do enriquecimento, que pode ser aumentou várias vezes mais do que no período anterior ao acordo nuclear".

    O presidente dos EUA, Donald Trump, tem até meados de janeiro para decidir se as sanções serão recolocadas. A suspensão faz parte do acordo histórico acordado entre o Irã e seis potências mundiais sob a administração do ex-presidente dos EUA, Barack Obama, que viu uma flexibilização das sanções em troca da redução do seu programa nuclear no Irã.

    Trump chamou o acordo nuclear do "pior negócio já negociado" e enfatizou que ele poderia cancelar a participação dos EUA nisso "a qualquer momento". Ele se recusou a certificar o cumprimento de Teerã pelo acordo em outubro.

    Referindo a decisão de Trump sobre as sanções, Kamalvandi disse que "o governo americano deve pensar com sabedoria […] mesmo que tenham mostrado até agora, infelizmente, que eles não estão pensando ou agindo com sabedoria".

    Também nesta quarta-feira, um assessor senador do presidente iraniano, Hassan Rouhani, disse que a personalidade imprevisível de Trump torna difícil determinar se as sanções serão renovadas. "Estamos preparados para o pior cenário", disse Takht Ravanchi, de acordo com a mídia estatal. "Não só no campo político, mas mesmo na frente econômica".

    As observações de Kamalvandi vêm apenas dois dias depois que o chefe da agência de energia atômica do Irã afirmou que Teerã pode reconsiderar sua cooperação no acordo nuclear se os EUA não respeitarem seu compromisso com o acordo.

    "Se os EUA não cumprirem seu compromisso no JCPOA (Plano Integral Conjunto de Ação), a República Islâmica do Irã tomaria decisões que poderiam afetar sua cooperação atual com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA)", disse Ali Akbar Salehi durante um telefonema de segunda-feira com o diretor-geral da IAEA, Yukiya Amano.

    Mais:

    Irã rechaça acusação de ter bases militares na Síria
    Rússia: EUA minaram sua autoridade ao convocar reunião sobre Irã no Conselho de Segurança
    Líder da Chechênia: 'Estão preparando um cavalo de Troia para o Irã!'
    Tags:
    sanções, enriquecimento de urânio, programa nuclear, energia nuclear, JCPOA, Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Yukiya Amano, Ali Akbar Salehi, Majid Takht-Ravanchi, Donald Trump, Behrouz Kamalvandi, Hassan Rouhani, Estados Unidos, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar