08:05 20 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Bombardeiro polivalente russo Su-24 sendo preparado para partir da base aérea de Hmeymim, na província síria de Latakia, Síria (foto de arquivo)

    Especialista sobre ataque à base russa na Síria: em vez de prejudicar, deu experiência

    © Sputnik/ Ramil Sitdikov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    13311

    O Ministério da Defesa russo estabeleceu o local de lançamento dos drones que atacaram a base aérea russa de Hmeymim situada na Síria. O especialista em ciências políticas Bogdan Bezpalko, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, comentou o incidente.

    Na noite de 6 de janeiro, a base aérea de Hmeymim e o posto de manutenção naval de Tartus na Síria, ambas sob administração russa, repeliram um ataque massivo de drones contra as suas instalações.

    Os drones decolaram de uma área no sudoeste da zona de desescalada na província síria de Idlib controlada pela oposição moderada, informou nesta quarta-feira (10) o jornal Krasnaya Zvezda, veículo de imprensa oficial do Ministério da Defesa russo.

    Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista em ciências políticas Bogdan Bezpalko falou sobre os prováveis motivos do ataque.

    "As palavras 'oposição moderada' não devem enganar a ninguém. Ela não é moderada de jeito nenhum, trata-se de inimigos do presidente legítimo sírio Bashar Assad e da Rússia, tais como o Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países]. Nesta situação é evidente que, na sequência dos êxitos do exército sírio, esta 'oposição' se tornou mais ativa e resolveu provocar danos ao exército russo. Contudo, por esta tarefa ser difícil de cumprir, eles usaram drones. Em minha opinião, trata-se de uma vantagem para a Rússia, no sentido que agora possuímos experiência para repelir os ataques deste tipo", assinalou Bogdan Bezpalko.

    Anteriormente, o Ministério da Defesa da Rússia comunicou que no momento do ataque com drones um avião de reconhecimento norte-americano esteve sobrevoando a região de Hmeymim.

    De acordo com Bogdan Bezpalko, este fato prova que os norte-americanos estiveram envolvidos no ataque.

    "A presença de um avião de reconhecimento dos EUA ali indica que de alguma maneira os norte-americanos estiveram envolvidos no ataque, que eles forneceram informações e talvez tenham ajudado a planejar e realizar a operação com drones. Vale recordar que os estadunidenses também permanecem na Síria sem terem solicitado permissão, eles se encontram na área da cidade de Al-Tanf, onde está situada uma infraestrutura militar sua que, apesar dos protestos da Síria, continua sendo considerada pelos EUA como um ponto de apoio de sua presença na Síria", assinalou o especialista.

    Mais:

    Ministério da Defesa russo: posição do Pentágono sobre drones de terroristas é preocupante
    Ex-agente da CIA: terroristas podem estar criando drones com equipamento norte-americano
    Tags:
    base, drones, ataque, base aérea Hmeymim, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik