12:42 17 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Presidente Trump discursa perante a Assembleia Geral da ONU (foto de arquivo)

    Trump ameaça cortar ajuda a refugiados palestinos

    © Sputnik / Nikolay Lazarenko
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1354

    Os Estados Unidos podem cortar seu financiamento para os refugiados palestinos. Nesta terça-feira (2), o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que a Palestina não oferece nenhum "reconhecimento ou agradecimento" apesar de receber centenas de milhões de dólares.

    "Nós pagamos CENTENAS DE MILHÕES DE DÓLARES por ano e não recebemos reconhecimento ou respeito. Eles sequer querem negociar um já atrasado acordo de paz com Israel. Nós tiramos Jerusalém, a parte mais dura da negociação, da mesa de diálogo, mas Israel, por isso, teria que pagar mais. Mas com os palestinos não dispostos a negociar a paz, por que deveríamos fazer esses gigantescos pagamentos para eles no futuro?", disse Trump no Twitter.

    Os Estados Unidos são o principal doador da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina, que atende 5 milhões de refugiados. Em 2016, a organização recebeu aproximadamente US$370 milhões de Washington.

    A possibilidade de cortar o financiamento também foi discutida pela embaixadora dos EUA da Organização das Nações Unidas (ONU).

    "O presidente basicamente disse que não quer dar nenhum financiamento adicional, nem parar de financiar, até que os palestinos concordem em voltar à mesa de negociações", disse Nikki Haley.

    As relações entre Palestina e Estados Unidos estão em baixa após Trump romper um consenso diplomático de décadas e reconhecer Jerusalém como capital de Israel.

    A medida do presidente dos EUA foi condenada por mais de 120 países por meio de resolução na ONU. Haley disse que a votação da resolução "não foi útil".

    "Os palestinos agora têm que mostrar ao mundo que querem sentar à mesa [de negociações]. A partir de agora, eles não estão vindo à mesa, mas eles pediram ajuda. Nós não estamos dando a ajuda, nós iremos certificar que eles virão à mesa e queremos seguir com o processo de paz", disse a embaixadora dos EUA na ONU.

    O presidente da Palestina, Mahmoud Abbas, afirma que os EUA perderam seu papel de mediador no Oriente Médio porque têm uma postura tendenciosa a favor de Israel.

    Nesta terça, o Parlamento de Israel aprovou uma emenda que torna mais difícil ceder o controle de Jerusalém em qualquer acordo de paz futuro com os palestinos.

    Mais:

    Palestina chama decisão da Guatemala em mover embaixada de 'ato vergonhoso e ilegal'
    Deputados do Irã aprovam projeto para reconhecer Jerusalém como capital palestina
    EUA e Israel sozinhos: China apoia Jerusalém Oriental como capital da Palestina
    EUA perderam seu papel de mediador no Oriente Médio, diz presidente da Palestina
    Países muçulmanos reconhecem Jerusalém Oriental como capital da Palestina
    Erdogan propõe reconhecimento de Jerusalém como capital da Palestina
    Tags:
    Mahmoud Abbas, Nikki Haley, Donald Trump, Israel, Palestina, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik