18:10 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    16815
    Nos siga no

    Os aviões fabricados pela empresa brasileira Embraer serão utilizados no combate ao terrorismo no país africano.

    Os Estados Unidos concordaram em vender à Nigéria aeronaves A-29 Super Tucano anti-insurgência e de suporte tático, informou a Força Aérea da Nigéria (NAF) em uma declaração nesta quarta-feira (27).

    "O embaixador dos EUA na Nigéria, Stuart Symington, apresentou hoje as cartas de oferta e aceitação em relação à aeronave A-29 Super Tucano para a Força Aérea da Nigéria (NAF)", disse o vice-marechal Olatokunbo Adesanya em comunicado publicado na página oficial da NAF no Facebook.

    A declaração apontou que o governo dos EUA está empenhado em ajudar a Nigéria a derrotar os terroristas do Boko Haram na parte nordeste do país e procura ajudar a eliminar todas as formas de terrorismo no país.

    O Departamento de Estado dos EUA aprovou anteriormente a venda de 12 aeronaves A-29 para a NAF para ajudar ainda mais a campanha de contra-insurreição do país, recordou Adesanya.

    As vendas haviam sido suspensas em uma das últimas decisões de Barack Obama antes de deixar a presidência dos Estados Unidos. À época, um bombardeio da NAF sobre um campo de refugiados influenciou de forma negativa a decisão do então presidente. 

    Michel Temer, presidente do Brasil
    Antonio Cruz/Agência Brasil / https://fotospublicas.com/presidente-michel-temer-deixa-o-hospital-depois-de-internado-no-dia-de-hoje/
    Segundo a agência Reuters, cada A-29 custa em torno de US$ 10 milhões (R$ 33 milhões), com uma grande variação de preço a depender das configurações da aeronave.

    O Super Tucano é uma aeronave de ataque desenhada e fabricada pela empresa brasileira Embraer. A aeronave é considerada leve e é projetada para missões de contra-insurgência, apoio aéreo e missões de reconhecimento aéreo em ambientes de baixa ameaça, de acordo com relatórios publicados.

    Mais:

    Série de explosões suicidas causa 18 mortes na Nigéria
    Boko Haram mata mais de 50 petroleiros em ataque na Nigéria
    Comando militar da Nigéria: 'Boko Haram perdeu a guerra'
    Após reação de Temer, Boeing tenta acalmar brasileiros sobre aliança com a Embraer
    Tags:
    defesa aérea, terrorismo, Embraer, Boko Haram, Olatokunbo Adesanya, Stuart Symington, Donald Trump, Barack Obama, Estados Unidos, Nigéria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar